Livros de Olga Tessaribannerolgatessari
Site Exclusivo e Oficial da Psicóloga, Psicoterapeuta, Consultora Comportamental, Pesquisadora e Escritora Olga Tessari
Você está ansioso, estressado, inseguro, com medos ou baixa autoestima? Terapia focada na solução do problema!

*Veja indicação de leitura de outros textos e vídeos no final da página

A mulher tem mais dificuldades de recomeçar sua vida sentimental após um rompimento amoroso do que o homem? Seria o contrário? Por quê?

Pela própria educação dada à mulher (que é diferente da educação dada aos homens), ela tende a valorizar muito mais o sentimento e o relacionamento do que o homem.

Não que ele também não o valorize, mas para ela, que ainda vive numa fantasia romântica, o relacionamento deve ser eterno...

Sabe aquelas histórias infantis de que viveram felizes para sempre? A mulher sonha ainda com isso...

Então, quando um relacionamento desmorona, é comum que ela entre em depressão, buscando em si própria a causa do relacionamento ter acabado, culpando-se por isso...

Já o homem, que é muito mais racional, tenta seguir em frente, muitas vezes buscando relações fortuitas, tornando-se um "Don Juan", não se envolvendo seriamente com ninguém...para evitar o sofrimento e para sentir que ainda é capaz de conquistar muitas mulheres...para aumentar a autoestima, que muitas vezes fica diminuída na separação...

Isso que eu descrevo é o que geralmente acontece, mas não é regra geral...

Há mulheres que comportam-se como os homens e vice-versa...

Portanto, via de regra, é mais difícil para uma mulher iniciar um novo relacionamento do que um homem, porque ela demora mais para desligar-se completamente de seu relacionamento anterior e para colocar um ponto final definitivo nesta relação que acabou...

O homem procura envolver-se em outras conquistas para esquecer ou não pensar no relacionamento que acabou...

A idade influi na decisão de acabar com uma relação que já não está mais satisfazendo? E quanto ao recomeçar? É mais difícil para quem não é mais jovem cronologicamente?

A idade que é o que menos determina o fim ou não de uma relação. Há muitos outros fatores envolvidos... O relacionamento com os filhos, os netos, a rotina do casal, a segurança financeira, os bens adquiridos ao longo da vida...

Tudo isso pesa muito na hora de se decidir acabar com uma relação insatisfatória.

Há casais que, apesar de não terem mais nenhum afeto entre si, continuam casados por causa desses fatores acima citados... Já tive em consultório, vários casos de pessoas que desejavam a separação, mas não sabiam como viver sozinhos, uma vez que já estavam acostumados um ao outro...

O hábito é a segunda natureza do homem... Muitas vezes, negamos a necessidade do afeto apenas para permanecer com nossos velhos hábitos intactos!

Nesse sentido, o recomeço para pessoas de mais idade é mais difícil...

Muitas mulheres questionam o que fazer agora com a idade avançada...Serão capazes de se envolver com alguém novamente?

Será que ainda estão atraentes fisicamente?

O que fazer com as rugas que teimam em permanecer, apesar de todos os tratamentos? Como atrair outro alguém com esse corpo que já não é jovem?

E o trabalho, por exemplo? O que fazer se ela deixou de estudar para cuidar da casa e dos filhos?

Como entrar no mercado de trabalho que discrimina pessoas com idade mais avançada?

Por não ter respostas satisfatórias ou só conseguir antever um futuro negro (terei agora que me sustentar, ninguém vai querer se envolver com uma senhora), muitas delas "acomodam-se" à situação de um mal relacionamento e o mantém apesar de tudo... e tornam-se amargas e infelizes...

É o caso de muitas mulheres que não aceitam a traição do marido, mas continuam casadas...

O mesmo acontece com muitos homens...

Acostumados a muitas mordomias no casamento ou com receio de ter que dividir os bens adquiridos com muito esforço por eles, sujeitam-se a manter o casamento ou relacionamento apenas por isso e permanecem infelizes...

Aqueles que resolvem acabar com o relacionamento, apesar de tudo o descrito acima, enfrentam uma série de obstáculos, mas nada como estar feliz consigo mesmo para superar todos eles...

É preciso coragem para ser feliz novamente!!

É preciso romper definitivamente com todos os vínculos que mantiveram a relação apesar de não haver mais sentimentos envolvidos...

É muito difícil aceitar o fato de que alguém com quem convivemos tanto tempo não nos quer mais...

É comum procurar tentar explicar o fato culpando-se de não ter feito isso ou aquilo para que a relação se mantivesse...

Ambos, homens e mulheres, sofrem muito com a rejeição...

Não somos preparados para sermos rejeitados...

E para evitar que a rejeição se consume de fato, muitas vezes acabamos por tomar atitudes que destroem a nossa autoestima, na vã tentativa de reatarmos a relação... que na realidade já não existe...

É uma fase de muito sofrimento... Onde quase sempre se chega à depressão... Porque, por mais que se faça a relação não será reatada...Pois uma relação só existe a dois, e quando uma das partes não quer....é impossível!

Quais são as dificuldades mais comuns entre os casais ? Terapia a dois resolve?

As pessoas evoluem, aprendem e mudam...E, muitas vezes, ao longo de um relacionamento, elas seguem por caminhos que as vão distanciando...

Por exemplo, um marido que cresce em seu trabalho e uma esposa que é apenas dona de casa...

Ele vai se relacionando com pessoas diferentes, ampliando seus horizontes, mas a dona de casa está sempre com os mesmos assuntos de casa...

Com o tempo, ele passa a considerar monótona sua permanência em casa, não presta mais atenção ao que ela diz - afinal é sempre a mesma coisa - e ela passa a perceber que ele não liga mais para ela...

Ela fica magoada com ele...Ele também com ela porque ela não percebe que ele deseja que ela cresça também...

Isso é apenas um exemplo de como o casal pode se distanciar...

Uma psicoterapia de casal ajuda muito, porque o casal acaba descobrindo e revelando um ao outro as suas mágoas e resolvendo os conflitos que estariam colaborando, ao longo do tempo, para uma separação...

É incrível como muitas vezes com o auxílio de uma psicóloga eles conseguem dialogar...coisa que não faziam há muito tempo... e voltam a viverem felizes!!

O casal, para permanecer unido, precisa crescer junto também...

Se o fim de um relacionamento for inevitável, ou já aconteceu, o que fazer?

Quando um relacionamento acaba, é melhor mesmo colocar um ponto final nele e seguir em frente, apesar de tudo!

Não adianta culpar-se ou procurar recomeçar algo que já não existe mais...

Acabou porque já não se sustentava mais...

Ambos contribuíram de alguma forma para que ele findasse...

É claro que surgirá uma série de dificuldades, afinal não é fácil recomeçar a vida sozinho depois de tanto tempo com alguém...

Mas o mais importante é estar de bem consigo mesmo!

Deixar seu coração livre e sua alma leve para voltar a viver novamente...

Porque manter um relacionamento com alguém que não se deseja mais, com alguém com quem não se quer mais compartilhar, dividir, viver, é o pior sofrimento que um ser humano pode vivenciar...

E quando mantemos essa situação de se estar com alguém que não queremos mais é deixar de viver, é magoar-se, humilhar-se, é ir destruindo a autoestima cada vez mais...

A alegria de se estar só quando não se quer mais estar com alguém é fabulosa!

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE:

A pior coisa do mundo é tentar deixar de sofrer com a perda de alguém buscando um novo relacionamento logo em seguida...

Estaremos buscando alguém semelhante àquele(a) que nos deixou...

Só que cada ser humano é único... não existem cópias... então, estaríamos procurando nesse novo relacionamento aquilo que não conseguimos ter no anterior...só que o(a) novo(a) parceiro(a) não vai suprir aquilo que o outro não nos deu...

E haverá mais sofrimento...

É melhor, quando um relacionamento termina, procurar ficar só por um tempo, cuidar de si próprio, aumentar a autoestima, fortalecer-se...

Amar-se é a palavra-chave...

Porque só depois de amar a si próprio é que alguém estará pronto para amar e deixar-se amar por alguém novamente...


- Tratamento Psicológico para a ansiedade, autoestima, medos, insegurança, ciúme - saiba mais! -

Palestras e cursos com vários temas de interesse podem ser criados especificamente para o seu grupo!

- Vídeos sobre Problemas de Relacionamento -

- Vídeos sobre Ansiedade - Medos - Autoestima - Estresse - Timidez -

Leia abaixo outros textos relacionados ao tema:

facebook . twitter . linkedin . google

Leia os livros:

Amor X Dor
Dirija sua vida sem medo


Assine o livro de visitas

Patrocine o site!

Conheça Olga Tessari

AJUDAEMOCIONAL.COM - Site de informação, divulgação e de orientação sobre problemas do ser humano de origem emocional, respaldado em pesquisas científicas. As informações contidas nesse site têm caráter educativo e informativo e não descartam, em hipótese alguma, as consultas com um psicólogo ou um médico. Leia: Normas de Conduta - Política de Privacidade


ATENÇÃO! Todo o conteúdo desse site está registrado e protegido pela lei de direitos autorais. A cópia sem autorização é crime sujeito às penas da lei: não seja o próximo a ser processado judicialmente! Proibida a reprodução integral ou parcial, para uso comercial, editorial ou republicação na internet MESMO QUE CITADA A FONTE - (Inciso I do artigo 29 - Lei 9610/98).
Quer publicar ou copiar os textos do site? Fale comigo!


OLGA TESSARI não tem equipe, trabalha sozinha! Seus sites:
www.ajudaemocional.com - www.ajudaemocional.net - www.olgatessari.com - http://ajudaemocional.tripod.com - www.olgatessari.com.br


OLGA TESSARI não patrocina, não apoia e nem indica o kit ajuda sentimental ou qualquer outro similar - saiba a visão dela sobre isso!


Consultório: Rua Costa Aguiar, 1810 - Ipiranga - São Paulo - SP - Brasil / Tel (11) 2605-6790 / Cel: (11) 99772-9692
Mapa de localização - Formulário para contato


Copyright ©® 2001-2014 Olga Inês Tessari - Todos os direitos registrados
Não procure nos livros a razão do brilho das estrelas: olhe para o céu!