• 21 fev 17

Ano Novo, planos e promessas

De que forma agir para que seus sonhos e planos se realizem no ano novo?

Por: Olga Tessari
  • Ano Novo, Planos e Promessas!

    Planos e promessas?

    Realize seus sonhos no Ano Novo, fazendo planos e promessas que possam ser concretizados!

     

    Entrevista com © Dra Olga Inês Tessari

     

    Simpatias e promessas!

    Pular sete ondas, fazer simpatias, vestir-se de branco, comer lentilhas. Não faltam promessas para o novo ano. Porém, um estudo recente da Universidade de Hertfordshire, no Reino Unido, revela uma realidade nada animadora: a maioria das pessoas não consegue alcançar o que planeja. E a culpa é só delas.

    Segundo o autor da pesquisa, o psicólogo Richard Wiseman, o fato ocorre porque as estratégias usadas, na maioria das vezes, são falhas. Não adianta reprimir desejos, fantasiar o sucesso ou adotar um modelo como referência. Ou seja, se está pensando em emagrecer, não basta colocar uma foto de uma modelo na porta da geladeira e ficar pensando em como seria bom estar na pele dela, é necessário partir para a ação.

    “Pense primeiro e planeje um caminho com pequenos objetivos. Se você quer ficar milionária, precisa primeiro pensar em como juntar dinheiro, que pode ser economizando ou trabalhando mais”, orienta a psicóloga e autora do livro Dirija Sua Vida Sem Medo, Olga Inês Tessari.

     

    SONHAR É PRECISO

    “Ter sonho já é um grande objetivo”, afirma a autora do livro Sonhar e Realizar é só Começar, Patty Pachas. Mas, para que não fique só como uma ‘nuvenzinha”, deve ser colocado em prática. “O importante é começar agora. Dar o primeiro passo. Não adianta marcar o início da dieta para segunda-feira.” Mas será que alcançar um sonho é algo possível para qualquer um ou há quem tenha mais dificuldade? “Todos podem alcançar o que almejam”, afirma Olga Tessari. O grande problema é que o ser humano não gosta de muito esforço. “Então, se o trajeto é muito complicado, a alternativa é pensar em maneiras acessíveis para que se possa continuar adiante.”

     

    PASSO A PASSO

    No estudo da Universidade de Hertfordshire os entrevistados que conseguiram realizar os projetos seguiram os seguintes passos: dividiram o objetivo final em ações menores, deram a si recompensas, compartilharam seus planos com amigos, focaram a atenção nas tarefas alcançadas e anotaram todos os progressos em um diário. Escrever aquilo que você quer é muito importante. É fundamental rever as metas. Segundo a pesquisa, as chances de se conseguir um objetivo seguindo os cinco passos acima aumentam em 50%.

     

    ACERTE O ALVO

    Para que um desejo seja concluído com êxito, é preciso concentração total. “O ideal é que se tenha apenas um projeto para ser trabalhado”, afirma Márcia Rezende, psicóloga. Na fórmula para alcançar o sucesso, a proporção é sempre inversa. “Quanto menos projetos, mais chance de concretizá-los, porque não se pulveriza energia e atenção”, orienta a especialista. Também é importante ser específico. Apenas sonhar em mudar de vida não vale. Se o projeto de vida é mudar de atitude, essas ações devem ser estabelecidas. Por exemplo, vou poupar 20% do salário, vou correr cinco vezes por semana, vou ler um livro por mês.

     

    MÃO NA MASSA

    É fundamental ainda que não se coloque nenhuma responsabilidade nas mãos dos outros. Você deve ser único e grande responsável pelos seus projetos. “Não adianta pensar eu quero que meu marido me ajude a emagrecer”, por exemplo, porque isso depende do esforço do outro”, afirma Márcia Rezende. Outra tarefa muito importante é definir prazos para cada ação. Coloque datas. Enfim, com a meta traçada, sabendo bem onde está e onde se quer chegar, basta arregaçar as mangas e ir à luta. E se no meio do trajeto aparecer qualquer empecilho, não se preocupe. Encare-o como um escorregão e se fortaleça para continuar no caminho. “Projeto que se abandona é aquele que se estrutura de maneira ineficiente. Meta bem estruturada é meta realizada”, afirma a psicóloga Olga Tessari. Independentemente do tempo que se leva para isso.

     

    Matéria publicada no Diário do Grande ABC por Raquel de Medeiros em 03/01/2009