• 05 fev 17

Promessas de Ano Novo

Será que iremos cumprir nossas promessas e compromissos firmados ao longo do ano?

Por: Olga Tessari
  • Promessas de Ano Novo

     

    Promessas de Ano Novo acontecem em todo final de ano. Será que elas são cumpridas mesmo ou não?

    Entrevista com © Dra Olga Inês Tessari

     

    Promessas feitas, promessas cumpridas?

    RenovaçãoPoucos dos muitos compromissos firmados no início de um ano são realmente cumpridos

    Quem nunca fez promessas para o futuro? Um regime que começa na segunda-feira, as aulas de academia programadas para o próximo mês, estudar mais na prova marcada para o semestre que entra. Esse são exemplos de “compromissos” que sempre firmamos – com nós mesmos -, mas nem sempre cumprimos. Com a chegada do fim do ano – e claro, o início de outro – todo mundo se enche de novos planos, projetos e metas.

    Isto é comum em todas as idades e na adolescência não poderia ser diferente. A atitude é reflexo de uma onda de esperança que invade as pessoas com a chegada do Natal e Ano Novo. Até mesmo o poeta Carlos Drummond de Andrade se entregou aos encantos da época e ensina, por meio da poesia, a Receita de Ano Novo.

    Psicólogos, especialistas no assunto, comentam que essa esperança coletiva tem início com a chegada do Natal e culmina com o Ano Novo. O sentimento comum a todos no mês de dezembro é um elemento importante na vida, independente dos fatores econômicos e sociais das pessoas.

    A psicóloga e psicoterapeuta Olga Inês Tessari explica que esse sentimento de paz e esperança é reflexo da cultura. “Todo final de ano as pessoas param refletir o que fizeram e o que desejam para o próximo ano. O interessante é que isso começa antes do Natal. Em dezembro, as pessoas estão mais amáveis, gentis”.

    A especialista comenta que neste período é comum as pessoas se deprimirem por não terem alcançado os planos que fizeram, porém Olga Tessari aconselha que se aproveite a situação para refletir o porquê da não realização dos projetos feitos no início do ano. “Não adianta ficar se lamentando e triste por não ter conseguido cumprir as metas. O ideal é aprender com a situação, aprender com ela para não persistir nos erros e chegar ao final do próximo ano na mesma situação”.

     

    Matéria publicada no site Gazeta Digital Ed. 5906 – 30/12/2007 por Raquel Ferreira