• 02 fev 17

Dizer a verdade ou não

Quando você faz algo condenável ou polêmico, como contar? Veja 3 alternativas ...

Por: Olga Tessari
  • Dizer a verdade ou não

    Verdades desnecessárias?

     

    Entrevista com © Dra Olga Inês Tessari

     

    Dizer a verdade ou não. Saiba o que você terá de enfrentar ao escolher entre contar tudo sobre um deslize, mentir ou omitir.  Quando uma verdade a seu respeito parece dolorida demais para o parceiro, você pode seguir por três caminhos: feri-lo, mas contar tudo o que aconteceu, omitir algo para o impacto ser menor ou mentir para poupá-lo – e poupar-se.

    Para ajudar a escolher a melhor trilha, Viva! consultou Rosana Braga, autora do livro Faça o Amor Valer a Pena (Ed. Gente) e a psicóloga Olga Tessari, autora do livro Dirija a sua vida sem medo (Ed.Autor), ambas de São Paulo. Eis o que elas aconselham…

     

    Tá na berlinda?

    Se você fez algo condenável ou polêmico e ainda não sabe como contar, restam-lhe três alternativas – e suas prováveis conseqüências:

     

    1) Mentira: Se a relação é legal, isso não será preciso. “A mentira está ligada à baixa auto-estima”, diz Olga Tessari, salientando que uma história mal contada sempre leva à outra e à outra…

    Conseqüência: “Não existe mentira perfeita”, assinala a especialista. E também não há regras para a reação do parceiro, que pode ir do perdão irrestrito ao rompimento. “Isso vai depender da importância da pessoa na vida do outro.”

     

    2) Omissão: Rosana Braga é taxativa. Segundo ela, alguns fatos não acrescentam nada à relação, especialmente os que só machucam sem contribuir para a evolução da parceria.

    Consequência: Se o moço descobrir a omissão, ele pode se sentir traído. Mas, nesse caso, como não foi criada nenhuma história, será mais fácil explicar.

     

    3) Verdade: A verdade é sempre melhor, diz Olga Tessari. Rosana alerta: “Só tome cuidado para não achar que deve contar absolutamente tudo e perder a individualidade na relação.”

    Consequência: Depende de cada um e do estágio da relação do casal, mas pode ir desde o fortalecimento da relação até o fim da história entre os dois.

     

    E você?! O que acha de tudo isso?

     

    Matéria publicada na revista Viva Mais em novembro/2007