• 21 jan 17

Prepare-se para a menopausa

É apenas mais uma fase na vida da mulher, não é sofrimento!

Por: Olga Tessari
  • Prepare-se para a menopausa

    Menopausa – Prepare-se porque ela virá

    Entrevista com © Dra Olga Tessari

     

    Atitudes que você pode tomar agora para chegar à maturidade numa boa 

    Vamos fechar um acordo e assumir de cara o seguinte: a menopausa é inevitável. Mas, cá entre nós, não precisa ser o fim de jogo. “Ao contrário, deve ser o início do segundo tempo”, diz a psicanalista Mirian Giannella, do Grupo de Apoio Vida de Mulher, em São Paulo, que atende mulheres na maturidade.

    Para chegar lá cada vez mais firme e forte (e ainda criativa, com disposição e alegria, enfim, com um pacote de coisas boas), é preciso encarar desde cedo que essa fase existe. E, se for o caso, tomar algumas atitudes.

    Aqui, você encontra nove sugestões.

    1. Procure ter uma vida ativa e animada fora dos limites da casa e do trabalho. Nunca se prive de encontros com amigos, ache tempo para movimentar o corpo, descubra hobbies mesmo que trabalhe demais. O importante é curtir bons momentos, relaxar e se divertir. Sempre. Não importa se já chegou lá — você sabe do que estamos falando — ou se está apenas se preparando. “Faça todos os dias alguma coisa boa para si mesma por mais simples que seja”, indica a psicoterapeuta Olga Inês Tessari, autora do livro Dirija Sua Vida sem Medo.

    2. O modo de encarar a menopausa importa muito. Relacioná-la à velhice é fazer drama com um fato biológico natural. “Em vez de pensar nisso, veja a liberdade embutida nessa fase”, recomenda Mirian Gianella. Claro, quanto antes passar a associar a menopausa a seus aspectos positivos, melhor.

    3. A atividade física é outra atitude de quem pensa no futuro. Invista nos alongamentos para melhorar a flexibilidade. Caminhadas, natação, musculação e dança ajudam a fortalecer músculos e ossos. Mexa-se!

    4. Evite se tornar vítima da síndrome do ninho vazio — o sentimento que bate quando os filhos crescem e seguem suas vidas. Por mais que suas crianças que ainda sejam os filhos, esforce-se para sempre refletir que dar asas a quem se ama faz parte do espetáculo da vida, e isso merece ser celebrado.

    5. Acrescente alimentos ricos em fito estrógenos em seu cardápio e passe a consumi-los com mais frequência a partir dos 35 anos. A especialista em alimentação Conceição Trucom, autora do livro Soja Nutrição e Saúde (editora Alaúde), dá uma receita: asse 1 quilo de soja em fogo baixo, passe no processador e consuma 1 colher de sopa dessa farinha a cada dois dias, alternando com 1 colher de sopa de linhaça, que deve ser deixada em meio copo com água de um dia para o outro.

    6. Não deixe os quilinhos se acumularem a cada ano para só se preocupar para valer com o peso na hora em que a menopausa der as caras. Não espere o amanhã para balancear a alimentação e consumir a quantidade de calorias necessárias apenas para seu corpo funcionar bem sem estocar gorduras. Se seu peso está acima do ideal, pense seriamente numa dieta saudável, que não exclua nenhum tipo de alimento, mas diminua o tamanho das porções. Vamos ser realistas: quanto mais o tempo passar, mais difícil será emagrecer.

    7. Os médicos são unânimes em indicar o consumo de leite e derivados para evitar a osteoporose, que torna os ossos frágeis e fáceis de quebrar até em batidas leves. Além disso, tome pelo menos 20 minutos de sol diariamente, de preferência no início ou no fim do dia e especialmente nos braços e nas pernas. Nesses períodos, quando o sol está mais brando, você pode e deve deixar de lado o filtro solar — que, diga-se, barra também os raios benéficos ao esqueleto. Se pretende estender o tempo de exposição, aí sim aplique o protetor.

    8. Nunca se descuide dos exames preventivos — não importa a idade. Depois da menopausa, adiá-los é uma espécie de luxo muito perigoso. Quem se habitua a testar a saúde antes da menopausa leva vantagem: ao chegar a essa fase, em que o check-up periódico é obrigatório — obrigatório, entendeu? —, você terá um bom histórico sobre o funcionamento do seu corpo para discutir com o médico. E aí qualquer probleminha será contornado com muito mais facilidade.

    9. Regina Maria Ruschi Vicentini, ginecologista e professora da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), dá um conselho para as mulheres que ainda não completaram 35 anos: “Se você é fumante e usa pílula, depois dessa idade tente buscar outra forma de contraceptivo. É que, a partir dos 35, a combinação entre pílula e cigarro cria o risco de formação de coágulos nas veias”. E, veja bem, isso antes mesmo da tão falada menopausa!

     

    Matéria publicada na Revista Saúde é Vital – Ed Abril por Rose Delfino, com Wanda Andrade