• 04 fev 17

Ciúme normal ou doentio

Cuidado, você pode ser ciumenta, possessiva e obcecada! Ciúme normal ou doentio? Descubra!

Por: Olga Tessari
  • Ciúme normal ou doentio.

    Qual seu tipo de ciúme?

     

    Seu ciúme é normal ou doentio?

    Entrevista com © Dra Olga Inês Tessari

     

    Dá vexames em público e briga à toa com ele? Seu ciúme é normal ou doentio? 

    Cuidado, você pode ser ciumenta, possessiva e obcecada! Normal ou patológico?

    Descubra o grau do seu e mande já a neura embora

    Ouvir telefonemas, seguir o olhar dele, dar vexames em público, brigar à toa. Cuidado, você pode estar com a “SCA”, Síndrome da Ciumeira Aguda. O termo não é utilizado cientificamente, mas bem que poderia ser patenteado por uma das milhares de mulheres que sofrem com isso, não é mesmo? A não ser que você seja como a jornalista Andréia Meneguete: segura, confiante e sem ciúmes nenhum. “A Luana Piovani pode passar do lado dele [esposo] que não ficarei enciumada. O segredo é a confiança”, garante ela.

    Você acredita nisso? O iTodas não muito e, por isso, resolveu tirar a prova-dos-nove com uma pergunta super direta: “Você é ciumenta?”.

    Nessa hora você deve ter suspirado e respondido: “Ciumenta, eu? Imagine! Confio plenamente no meu taco!”. Mas será mesmo? Até porque, das 1400 mulheres que responderam a nossa enquete, apenas 5% delas disseram nem saber o que é isso. “Ele não me dá motivo algum. A confiança que temos um pelo outro é muito forte. Que eu me lembre só tiveram duas vezes que tentei ter ciúmes dele, uma na balada e outra na praia. Essa última ele inverteu completamente a situação, fazendo com que eu me sentisse super infantil com essa atitude”, conta Andréia.

    Convidamos a psicóloga Olga Tessari, autora dos livros “Dirija sua vida sem medo” e “Amor X Dor“, para falar mais sobre a “SCA” (Síndrome da Ciumeira Aguda) – adorei o termo – e avaliar alguns casos. E casos é o que não faltam.

    Para você ter uma ideia, uma de nossas entrevistadas diz morrer de ciúmes até se o namorado olhar para o lado, mas, acredite, ela garante ser super-segura e não tem medo que ele a traia. Vê se pode! Já a outra, que se nomeia “ciumenta, possessiva e obcecada”, foi parar até na delegacia.

    “Numa balada, assim que terminei com meu namorado uma menina o agarrou. E, óbvio, fiquei pê-da-vida. Na mesma hora eu voei em cima dela, não por ter ficado com ele, mas porque ela riu de mim”, conta Amanda Rezende*. E completa: “No fim das contas, deu B.O. e meu ex-namorado acabou me deixando em casa. Quando ela ligou no celular dele, que estava comigo, atendi e disse que estávamos transando”, completa ela.

    Longe de apoiar uma situação como essas, e antes que você saia por aí batendo nas pessoas, descubra qual o seu grau de ciúmes: normal ou patológico?

     

    Não encane, ter ciúmes é natural

    Para a psicóloga Olga Tessari ter ciúme é natural, mas é necessário identificar quando ele é saudável e quando ele se torna patológico. “Ciúme é insegurança! Pode até ser por conta do seu parceiro, mas, na grande maioria das vezes, é insegurança consigo mesma, ou por uma experiência anterior negativa ou por ter uma auto-estima baixa, por exemplo”, diz ela.

    Enquanto esse ciúmes não interferir na relação ele é considerado saudável. Imagine que uma moça elogie seu namorado na sua frente. Qual é sua reação? Se você encarar numa boa, mesmo ficando um pouco constrangida, não ficar mal com o comentário e até sorrir para ela, acredite: seu ciúmes é normal. ”

    Todos temos medo de perder a pessoa amada e, por isso, procuramos sempre cuidar dela. Às vezes a gente até provoca uma situação para testar o tamanho do ciúmes do outro, e isso é natural”, completa.

    Mas, se sua resposta for: fico brava com ele, emburro, questiono e até brigo, cuidado! Quando chega nesse nível a tendência é sempre haver sofrimento. Sua insegurança é revelada e o ciúmes patológico, manifestado. E isso serve para todas as áreas da sua vida. No trabalho, por exemplo, por se sentir insegura você fica acomodada com seu ’empreguinho’, afinal, você deve pensar: se eu tenho o controle da situação, por que deveria mudar? Mas fique alerta, “O outro você não controla”, afirma a psicóloga.

     

    Não confunda ciúme com posse!

    Muitas pessoas acham que o parceiro é como um brinquedo possível de manipular, e é aí que se enganam. “Uma vez uma paciente minha me disse a seguinte frase: ‘eu não deixo ele fazer tal coisa!’, e eu pergunto: ‘quem somos nós para determinar o que o outro pode ou não fazer?’. Fatalmente isso vai arruinar a relação”, afirma Olga.

     

    “Quando ELE tem ciúmes” e “Quando EU tenho ciúmes”.

    Acompanhe os casos e nossas dicas:

     

    * Quando ELE tem ciúmes – Já imaginou ter que ligar para seu marido de cinco em cinco minutos para dizer onde, com quem e o que está fazendo? Ela precisa fazer isso. Acompanhe o caso:

    “Cito o caso de uma paciente que tem um marido ultra ciumento. Ela precisa ligar para ele a toda hora, desde quando sai de casa até quando chega ao lugar que havia dito que iria. Um dia ela foi ao supermercado e, acredite, ele ficava ligando para ela de cinco em cinco minutos. Cada vez que ligava, ele pedia para ela comprar algo, uma escova de dentes, um barbeador, por exemplo e queria saber o preço do produto. Tudo para saber se ela estava lá mesmo ou não”, conta a psicóloga Olga Tessari.

    Achou um absurdo? Isso porque você não sabe da pior parte: ele disse que, por ser um supermercado, o local estava muito silencioso. Agora, imagine essa fulana, colocando o celular perto do alto-falante e pedindo para a mocinha do caixa falar o nome do supermercado. Isso sim é um absurdo!

    Palavra da psicóloga: Em casos como esse, a culpa não é apenas dele, mas ela também colabora para esse ciúme excessivo. “Não entre no jogo do ciumento. Se ele estiver desconfiado, que mande um detetive investigar! Não satisfaça todas as vontades dele”, aconselha Olga Tessari.

     

    * Quando EU tenho ciúme – A estudante Silmara Durga* com certeza se inclui nos 17% da mulherada que diz ter ciúme o tempo todo. Para se ter uma ideia, em dois anos de namoro, eles já terminaram incontáveis vezes, mas por ciúme, foram quatro. Uma delas, Silmara conta ter terminado porque ele tinha uma melhor amiga. Poderia ficar horas contanto as diversas histórias de Silmara.

    Veja o por quê do carro dele ter sido parado pela polícia. E a ciumeira, acredite, não pára por aí!

     

    * Brigo com ele por que…

    … Ele não tem ciúme de mim – “A gente briga até pela falta de ciúmes dele. Ele diz que tem, mas não liga para nada. Posso usar qualquer roupa e ele não se manifesta. Isso me incomoda muito”, conta a estudante.

     

    … Ele tem uma melhor amiga – “Veja bem, eu sou mulher e tenho uma melhor amiga, ele é homem, teria que ter um melhor amigo. Essa amiga dele namora há uns cinco anos, conheço o namorado dela, mas mesmo assim não gosto”, diz ela.

     

    … Quero atenção o tempo todo – “Sou filha, neta e sobrinha única, é natural querer tudo para mim. Uma vez estávamos almoçando e ele não parava de olhar para o lado. Segui o olhar dele, virei e vi uma mulher com uma blusa listrada. Aí perguntei: ‘gostou das listrinhas?’. Ele fez cara de quem não entendeu e olhou para o outro lado. Novamente segui seu olhar e era uma cadeira, fiquei sem graça”. E mesmo assim, Silmara afirma: “Sou equilibrada, segura e não tenho desconfiança”

     

    … Têm mulheres mais bonitas que eu – “Uma vez fomos ao shopping e saí sem passar maquiagem. Ele disse que não tinha problema e eu o ouvi. Aí, passou uma menina linda e maquiada do nosso lado e comentei: ‘olha que menina bonita, não acha?’ Ele disse que nem tinha reparado e ficou bravo”, conta.

     

    Mas, quando questionada se ela se acha ciumenta ou não, olha o que ela respondeu: “Não me julgo ciumenta, não desconfio dele. Inclusive, tenho uma amiga, essa sim é ciumenta, ela pega o celular do namorado para ler as mensagens, ver as chamadas, e até vai atrás de seus amigos para saber o que ele anda fazendo. Eu não faço isso”.

    Você se identificou com alguma situação dessas?

    Então fique de olho nos conselhos da psicóloga Olga Tessari:

     

    Palavra da psicóloga: “Muitos crescem acreditando serem capazes de tudo. Pessoas assim tem dificuldade em dividir, por isso dela querer atenção o tempo todo. Ele tem direito de olhar em volta, isso é natural. E lembre-se, por mais que ele te ame, com certeza não aguentará tamanha pressão. Ele pode até vir com boas intenções, mas se você cobrar demais ele vai embora mesmo”.

     

    Fique atenta!

    A maioria das pessoas não consegue se livrar do ciúmes sozinha e acaba terminando o relacionamento por falta de orientação profissional. “Dos meus muitos anos de experiência, e pelo que observo, todo relacionamento que apresenta ciúme doentio não dura muito tempo. Ele pode até te amar, mas vai chegar uma hora que não vai aguentar mais tanto ciúme e vai embora para ter paz”, completa Olga Tessari.

     

    Dica esperta: Ele está com você porque quer e não por ser obrigado. Nunca se esqueça disso, ok!

     

    Quer se livrar de uma vez por todas da neura?

    Então não deixe de conferir mais algumas dicas:

    • Pare de querer sabotar seu relacionamento inventando mil motivos para ter ciúmes. Nesses casos, o problema não é ele, mas você

    • Valorize-se! Os homens gostam de mulheres seguras, de atitude e poderosas

    • Domine seu comportamento. Passou uma loira bonitona perto dele e bateu aquela insegurança? Não fique brava, mostre que você confia nele! Confiança é o principal

    • Pare de pensar que ele não poderá te amar. Ninguém é obrigado a ficar com ninguém. Se ele está com você é porque ele te ama

    • Não se mostre insegura. Isso é sinal de imaturidade em sentimentos e eles não gostam de mulheres fracas

    • Existem 3 bilhões de homens no mundo. Seu amor não é o único

    • E lembre-se: Beleza não é tudo!

     

    Até as mais seguras admitem: Já fui, mas não sou mais!

    12% das mulheres disseram já ter sido ciumentas, mas hoje afirmam: desencanei!

     

    É o caso de Andréia, lembra? Ela disse que antes era muito insegura, mas hoje coloca a mão no fogo pelo seu relacionamento. “Já tive ciúme no começo, mas como já estamos juntos há quatro anos (dois namorando e dois casados) não tem porque. Ele também é bem tranquilo em relação a isso. Sabe que trabalho com homens e não liga, apenas confia”, conta ela.

     

    1400 mulheres responderam: Você é ciumenta?

    66% Só quando ele me dá motivos
    17% O tempo todo
    12% Já fui, não sou mais
    5% Nem sei o que é isso

    * A pedido das entrevistadas, suas identidades foram mantidas em sigilo.

     

    Matéria publicada no site i-Todas – Amor e Sexo por Layla Marques em novembro/2008