• 16 jan 17

Pessoa egoísta

Quem é ela? De que forma ela se comporta? O que ela quer e espera da vida?

Por: Olga Tessari
  • Pessoa egoísta

    A pessoa egoísta – O “dono do mundo”

     

    * Direitos Autorais das respostas © Dra Olga Tessari

     

    1) O “dono do mundo” pensa que tudo pode, é egocêntrico e arrogante. Como ele surge? Essa característica decorre da educação que a pessoa recebeu dos pais? Quem é esse sujeito?

    Dra Olga Inês Tessari responde: Ao nascermos, “pensamos” que o mundo gira ao redor de nossas vontades, pois quando queremos algo basta chorarmos, que lá vem a mamãe saber o que está acontecendo e agir no sentido de fazer-nos parar de chorar.Uma pessoa que chega à fase adulta pensando que pode tudo, certamente foi educada dentro de um lar onde sempre acabava por conseguir tudo o que queria: pode ser o caso do filho que não aprendeu a lidar com limites ou mesmo nunca teve limites impostos pelos pais que sempre satisfaziam as suas vontades. Sabe aquela criança que chora ou faz manha para conseguir o que quer e seus pais se deixam levar por estas “chantagens” e dão ao filho o que ele deseja?

     

    2) Existem outras características que marcam a personalidade dessa pessoa?

    Dra Olga Inês Tessari: É natural do ser humano querer o melhor para si mesmo, pensar em si próprio em primeiro lugar, querer satisfazer os seus desejos e vontades. Como vivemos em sociedade, somos educados a buscar as nossas satisfações, mas sem prejudicar o próximo, se possível. Lembra aquele ditado popular que diz: ” a minha liberdade termina quando começa a do outro”? O “dono do mundo” não respeita o próximo, não se preocupa em saber se vai prejudicá-lo ou não, ele apenas pensa e age no sentido de conseguir tudo o que quer, tudo o que pensa e deseja e não aceita um não como resposta, quando aquilo que deseja depende da anuência de outra pessoa. Ele procura ter a sua volta pessoas submissas, tem prazer em liderar (subjugar seria a melhor palavra) até porque, como líder, faz com que as pessoas ajam de acordo com suas vontades.

     

    3) Quando trabalhamos com pessoas assim como devemos agir? E quando são amigos? Como devemos lidar?

    Dra Olga Inês Tessari: Realmente é difícil colocar limites numa pessoa que nunca aprendeu a lidar com eles. Se esta pessoa for a chefe então fica mais difícil ainda. Mas é preciso saber colocar limites, dizer ao chefe dos seus direitos, senão ele vai querer que você trabalhe como ele, que faça horas extras, que não almoce, por exemplo. Muitas pessoas acabam por pedir demissão por não suportarem a “ditadura” do chefe. Com relação a um amigo, o relacionamento com ele, em geral, acaba por ruir porque esta pessoa sempre vai querer que tudo seja como ela quer. Por exemplo, ela vai decidir aonde ir, o que fazer, como fazer, não aceitando alternativas e usando de artifícios, barganhas e chantagens para que os amigos façam o que ela quer.

     

    4) Apesar desta pessoa se sentir melhor do que todos os outros, ele tem algum problema de autoestima que o faz agir desse jeito?

    Dra Olga Inês Tessari: Por pensar em si mesma em primeiro lugar, sua autoestima costuma estar num bom nível porque nunca se vê como a causadora dos problemas, sempre colocando a “culpa” nas outras pessoas.

     

    5) Devido a este tipo de comportamento, ele encontra dificuldades na vida, como ser excluído, ser depressivo?

    Dra Olga Inês Tessari: Claro que encontra muitas dificuldades na vida, porque vive em sociedade, porque as outras pessoas nem sempre vão aceitar, tal como os pais dela, que todas as suas vontades sejam satisfeitas, o que pode levar ao rompimento das relações. Pessoas assim costumam ser solitárias, muitas vezes por opção, por não aceitarem que os outros pensem diferente dela. É possível que ela entre em depressão por não perceber que o erro está nela mesma pela dificuldade em aceitar um não como resposta e que é ela mesma quem afasta as outras pessoas de sua vida por causa do seu egocentrismo e arrogância.

     

    Matéria publicada na Revista Coop em setembro/2006