• 23 jan 17

Por que as pessoas mentem?

Quais são as razões que levam uma pessoa a mentir? Mentir demais é doença?

Por: Olga Tessari
  • Por que as pessoas mentem?

     

    Por que as pessoas mentem? Dra Olga Tessari responde!

     

    Direitos autorais das respostas © Dra Olga Inês Tessari

     

    Por que as pessoas mentem? Mentir é normal?

    Dra Olga Tessari: A mentira, infelizmente, faz parte da vida e, muitas vezes é um mal necessário para evitar problemas maiores, seja no relacionamento familiar, de trabalho, de amizade ou mesmo de relacionamentos afetivos. O objetivo da pessoa, ao mentir, é evitar um sofrimento.

     

    O que as motivam a mentir?

    Dra Olga Tessari: Em geral, as pessoas fazem uso da mentira para protegerem a si mesmas, para evitar brigas, discussões, confusões, para se fazerem importantes ou para se sentirem pertencendo a um grupo, entre outros fatores. Tive o caso de uma garota que mentia dizendo que tinha um namorado, embora isso não fosse verdade, apenas para sentir que fazia parte de um grupo de amigas no trabalho, todas com parceiros fixos (namorados, noivos ou maridos). Em outras situações, para exibir um status, a pessoa pode mentir para se sentir ‘igual’ a seus colegas. Por exemplo: dizer que foi viajar para o Nordeste (quando na verdade foi à baixada santista ou mesmo nem viajou para lugar algum), apenas para se sentir no mesmo ‘patamar’ dos seus colegas que nas férias viajaram pelo Brasil e/ou exterior. Muitas vezes, a mentira revela uma insegurança da pessoa em se assumir como ela é, revelando baixa autoestima.

     

    Qual o papel do medo na mentira, já que as pessoas provavelmente mintam por terem medo de dizer a verdade?

    Dra Olga Tessari: Como disse, a pessoa faz uso da mentira para proteger a si mesma. Portanto, se ela tem medo que uma verdade seja revelada e que a leve a sofrer de alguma maneira por causa desta revelação, certamente ela vai mentir ou omitir a verdade para evitar um mal maior para si mesma. Portanto, o medo da revelação da verdade e de suas conseqüências negativas pode levar uma pessoa a mentir.

     

    Quais podem ser as conseqüências da mentira para a própria pessoa e para quem ela mentiu?

    Dra Olga Tessari: Tudo vai depender da mentira contada. Às vezes, uma “mentirinha” não faz mal a ninguém, pelo contrário, até ajuda a evitar brigas e discussões, como no caso da pessoa que mente para não revelar que estava conversando com amigos, justamente para evitar conflitos com a esposa que morre de ciúmes dele estar com amigos.

     

    A mentira pode causar mais estragos? Quais são as mais perigosas?

    Dra Olga Tessari: O pior estrago que uma mentira pode provocar é quando ela é descoberta! Não importa o tamanho da mentira e nem os motivos que levaram a pessoa a mentir, a pessoa mentirosa passa a ser vista com desconfiança e perde a credibilidade. E, muitas vezes, além de todas as dificuldades que ela tem na tentativa de recuperar a confiança perdida, esta pessoa pode perder para sempre o convívio com determinadas pessoas, seu emprego, etc… Ou seja, a descoberta da mentira pode gerar uma mudança radical na vida de uma pessoa.

     

    Qual a fase da vida que mais se mente?

    Dra Olga Tessari: Não existe uma fase onde mais se minta, tudo vai depender do perfil da pessoa e das situações em que ela vive e se sente forçada a mentir para proteger a si mesma de um mal maior.

     

    Qual o campo da vida que mais há mentiras é o amoroso? Por quê?

    Dra Olga Tessari: Em geral, mente-se no campo amoroso quando se está inseguro consigo mesmo e, por isso, teme-se perder a pessoa amada. Em geral, as pessoas que mentem num relacionamento tem baixa autoestima ou então mantém o relacionamento amoroso por interesses vários que não apenas o sentimental (ex: quando a pessoa se casa com outra por ela ser rica, visando uma estabilidade financeira).

     

    Existe até um dia exclusivo para a mentira. O que faz com que ela seja tão “valorizada”?

    Dra Olga Tessari: Existem várias explicações para o surgimento do dia da mentira. Uma delas conta que, em 1564, o rei da França Carlos IX determinou que o Ano Novo fosse comemorado no dia 1º de janeiro, depois da adoção do calendário gregoriano, e isso foi seguido por vários outros países europeus. O Ano Novo costumava ser comemorado no dia 1º de abril. A mudança gerou muita confusão e alguns franceses resolveram manter a tradição, mas de uma forma debochada: os engraçadinhos mandavam presentes. O dia da mentira, até hoje é visto de forma debochada e lúdica, inclusive jornais ao redor do mundo publicam falsas notícias com fatos absurdos neste dia.

     

    Qual a diferença entre mentir e omitir? 

    Dra Olga Tessari: Mentir é inventar histórias, omitir é esconder fatos.

     

    Matéria publicada no Diárioweb.com.br em maio/2005