• 24 out 16

Fazer parte de um grupo é importante!

O ser humano é um ser social. Pesquisas mostram que, se for totalmente isolada, sem afeto ou trocas, uma criança não se desenvolve, não fala e permanece tal como um "animal", apenas seguindo os seus instintos básicos de sobrevivência.

Por: Olga Tessari
  • Por que fazer parte de um grupo é tão importante?

    Texto de © Olga Tessari

    O ser humano é um ser social!

    Ele necessita estar inserido em um grupo, participar, trocar.

    Pesquisas mostram que, se for totalmente isolada, sem afeto ou trocas, uma criança não se desenvolve, não fala e permanece tal como um “animal”, apenas seguindo os seus instintos básicos de sobrevivência.

    Todos nós estamos sempre, de alguma forma, participando de um grupo de interesses comuns, seja ele escolar, de trabalho, religioso, comunitário, político, etc. Mas mesmo dentro destes grandes grupos, subgrupos se formam, baseados nos gostos e preferências comuns, os quais são gerados pelos hábitos, costumes, pela cultura trazida do seio familiar e também do ambiente de criação.

    Estar reunido com amigos, fazendo parte de um grupo com interesses em comum, traz muitos benefícios psicológicos. O fato de uma pessoa saber que tem seus gostos partilhados por seus pares, de poder falar de forma clara sobre seus interesses sem pudores ou preconceitos e até de tecer críticas a outras pessoas que não partilham dos mesmos interesses, leva a pessoa a sentir-se bem, integrada , reafirmar seus gostos e melhorar seu auto conceito.

    Ser participante de um grupo traz a certeza de não se estar só (lembra que eu disse que o ser humano é um ser social?), de que existem outras pessoas que partilham dos mesmos interesses, de se sentir integrado. Isto promove o aumento da autoestima, da segurança e da auto confiança, fatores importantes para o bem estar emocional.

    A autoestima é um fator de vital importância para o ser humano. Ela está relacionada à imagem que cada um tem de si mesmo, mas também está vinculada à imagem que passamos para os outros. A autoestima é uma espécie de “sociômetro” que indica o grau em que uma pessoa se percebe como incluída ou excluída da sociedade e de seus grupos/pares.

    Fazer parte de um grupo de iguais reforça a autoestima, pois faz com que a pessoa sinta-se aceita, respeitada e valorizada.

    Ter um bom auto conceito e uma autoestima positiva é fundamental para a vida pessoal, profissional e social.

    Uma boa autoestima protege a pessoa do estresse, da depressão, da ansiedade, de relações problemáticas e de transtornos da personalidade.

    Quanto maior a nossa autoestima, mais nos sentimos propensos a tratar os outros com respeito, benevolência, boa vontade e justiça, pois não tendemos a percebê-los como ameaças e também porque o auto respeito é o alicerce do respeito pelos outros: tudo isso é reforçado quando se participa de um grupo de iguais.