• 22 jan 17

Traição: como saber?

Saiba os sinais que podem indicar a possibilidade de uma traição...

Por: Olga Tessari
  • Traição: como saber?

    Traição: como saber se ele está traindo?

    Entrevista com © Dra Olga Tessari

     

    Traição? Como saber? 

    Ele volta para casa tarde e se irrita só porque você perguntou como foi o dia dele, falando que está cansado de cobranças. Trabalha todo dia até depois do horário e sempre chega com fome dos jantares de negócio, aos quais você nunca pode ir. Você começa a ficar incomodada, liga alguns fatos a outros e nota que algo está errado.

    Qual a primeira coisa que vem em sua mente? Estou sendo traída!

    Antes de sair gritando feito uma louca ou jogar as roupas dele pela janela, é melhor confirmar suas suspeitas. Você pode tentar as saídas clássicas, como vasculhar os bolsos e o celular ou pressionar a secretária a contar tudo que ela sabe, já que ele não vai cometer o erro primário de chegar com perfume diferente, batom no colarinho ou cabelo molhado. Mas o melhor é tentar saídas mais sutis…

     

    Identifique os sinais:

    Segundo o detetive Carlos*, você tem que notar alterações no comportamento dele, como estar sempre com o celular desligado ou falar meio escondido quando alguém liga em horas impróprias.

    Fique atenta aos trejeitos dele. Quando as pessoas estão mentindo, geralmente encolhem os ombros, enrugam a testa e piscam demais.

    Olhe o extrato do banco e verifique gastos em restaurante, lojas de roupas e lingeries, de jóias e principalmente flats ou hotéis na cidade onde vocês moram.

    Veja se ele se enquadra nos comportamentos abaixo. Se ele corresponder a mais de três coisas, abra o olho!

    •Some sem dar notícias;

    •Tem se irritado com facilidade;

    •Tem agradado você excessivamente, dando presentes como nunca antes;

    •O tempo todo está ocupado demais para você;

    •Quando encontra tempo, está cansado demais;

    •O apetite sexual dele já não é mais o mesmo, mas ele evita tocar no assunto;

    •Começou a ir para a academia, alegando que sempre quis mas não tinha tempo;

    •Fala constantemente as palavras “sufocado”, “preso” ou “cobranças”;

    •Descobriu coisas novas que adora fazer, mas não pode compartilhar com você;

    • Tem crises excessivas de ciúmes;

    • Mas também não briga mais por qualquer coisa;

    • As reuniões dele são mais do que o cargo exige e sempre em horários estranhos;

    • Os amigos íntimos olham para ele com um sorriso no canto na boca.

     

    Não fique paranoica!

    Isso tudo não quer dizer que você deva passar o tempo todo pensando que está sendo traída e fazer do seu relacionamento um inferno. Se você exagerar, vai acabar imaginando fatos e suspeitas que não condizem com a realidade. Nem todo número desconhecido no celular é motivo para desconfiança!

    Para a psicoterapeuta Dra. Olga Tessari, mais importante do que desconfiar da traição é pensar nos fatores que podem levar uma pessoa a trair e agir no sentido de evitá-los. “Pensar em como se tornar uma pessoa interessante e atraente para que o parceiro só tenha olhos para você”.

    Quando o controle e a paranoia ficam excessivos, você acaba parando de viver e fica aprisionada, tentando vigiá-lo e desviando de sua própria vida.

    Você deve investir as suas forças em um relacionamento em que os dois respeitem a liberdade e o tempo de cada um, sabendo compartilhar o cotidiano e conscientes de que uma união pede atitudes coerentes para que acrescente ao invés de subtrair.

    “O melhor caminho para confiar e respeitar o espaço dele é a mulher ter o seu próprio espaço, seus amigos, sua vida. Dessa forma, ela passa a valorizar o espaço dele também, exatamente porque não vai querer que ele desrespeite o seu”, conclui a Dra. Olga Tessari.

     

    Matéria publicada no site Delas – Portal IG em janeiro/2007