• 06 jan 17

Traumas: como tratar?

A psicoterapia é o tratamento adequado para superar traumas e ser feliz!

Por: Olga Tessari
  • Traumas: como tratar?

    Traumas: como tratar? Sejam grandes ou pequenos traumas. Qual é o caminho? 

     

    Texto baseado em artigo da Dra Olga Tessari

     

    Terapia

    Algumas empresas vêm adotando a terapia como um tratamento para os seus funcionários, quer para aliviar as situações estressantes do dia-a-dia, como ainda solucionar questões mais graves.

    Exemplos: funcionários de bancos que sofreram a agressão de um assalto ou mesmo para clientes de uma autoescola que têm medo de dirigir, dentre outros. Traumas podem ser tratados e resolvidos.

    A psicoterapia é uma potente ferramenta de ajuda, de crescimento pessoal e que tem promovido mudanças positivas efetivas em tempo relativamente curto.

    “A Terapia significa tratamento”, explica a psicóloga e psicoterapeuta Olga Inês Tessari (CRP06/19571), baseada em mais de 20 anos de experiências.

    Não existe um momento certo para iniciar . “Costumo dizer que a terapia vem para ajudar a resolver questões que você não consegue resolver sozinho”, afirma a profissional.

    Há quem pergunte: quanto tempo dura a terapia? “Tudo vai depender do problema da pessoa e da forma como ela evolui no tratamento.

    A Psicoterapia Cognitiva Comportamental e as Psicoterapias Breves trazem resultados mais rápidos, de três a seis meses, mas podem se estender por mais tempo, pois cada caso é diferente”, diz. Já outras terapias podem necessitar de um tempo maior. “Vale lembrar que é importante diferenciar uma psicoterapia baseada num problema específico e a psicoterapia para o auto conhecimento.

     

    Através da psicoterapia/tratamento psicológico é possível:

    • Elevar a autoestima e obter a segurança e a confiança que promovem melhor qualidade de vida;

    • Resolver conflitos emocionais, tais como situações de alta ansiedade, pânico, estresse, depressão, medos, timidez, fobias, bloqueios, compulsões, traumas, etc.;

    • Melhorar e enriquecer as relações: entre o casal, na família, com os amigos/as, no trabalho, etc.;

    • Aprender a comunicar-se melhor para pedir exatamente o que você necessita, expressar seus sentimentos de forma adequada e saber lidar de forma positiva com eventuais problemas nesta área;

    • Superar medos: de falar em público, de dirigir, de enfrentar situações conflituosas, de errar, de estar entre outras pessoas, etc…;

    • Enfrentar positivamente situações desafiadoras através do desenvolvimento da capacidade de tomar decisões;

    • Superar vícios e hábitos negativos;

    • Enfrentar situações de perda ou de muita dor (luto, rupturas afetivas, acidentes, doenças graves, etc.) e superá-las;

     

    Matéria publicada em CREFITO-9 – Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional e DIMECAL – Distribuidora de Medicamentos Casaroto – Cascavel-PR 08/02/2006