Amizade é uma forma de amor

Amizade é uma forma de amor

Amizade é uma forma de amor

Amor de Amigo – Ele é seu confidente, sabe de sua vida, dos seus sentimentos e seus desejos mais íntimos

Entrevista com Olga Tessari

Ah, o amor…

Inspiração de poetas, compositores, cineastas, a amizade é uma das mais belas manifestações de amor humano. A socialização é uma necessidade das pessoas e praticamente todo mundo tem um grande amigo, ou mais de um.

Quando você tem um problema, ou recebe uma boa notícia logo pensa em contar para essa pessoa querida que apareceu em sua vida.

Algumas vezes esse amigo vem lá de sua infância, outras vezes conheceu no trabalho ou num passeio, mas só você sabe o quanto gosta dele e o quanto poderia se doar para vê-lo feliz, não é verdade?

A isso chamamos de amor de amigo ou dizemos que essa amizade é uma forma de amor.

Amizade é uma forma de amor

A psicóloga paulista Olga Tessari em entrevista ao caderno Zine explicou um pouco sobre essa forma de amor e como ela costuma acontecer na vida das pessoas. A aproximação delas tem um motivo.

Segundo a psicóloga, todo contato e interação pressupõem algum tipo de interesse. Na amizade isso não é diferente, seja pela companhia, pela cumplicidade ou mesmo pelo carinho e atenção do outro.

“O que aproxima as pessoas para uma amizade são as afinidades em comum e o que mantém a amizade é a confiança e a lealdade, é saber que você pode contar com a pessoa quando dela precisar”, disse Olga Tessari.

Mas nem todos os que estão ao seu redor são seus amigos íntimos. Olga Tessari diz que existem graus de amizade proporcionados pelo ambiente em comum que as pessoas frequentam como os colegas de escola, de trabalho, os vizinhos.

“O amigo do peito é seu confidente, sabe de sua vida, dos seus sentimentos e desejos mais íntimos e está presente em boa parte de sua vida, do seu dia a dia”, disse ela.

Amizade entre homem e mulher

Na sociedade, ainda que de forma reduzida se comparada a outros tempos, a amizade entre homem e mulher é colocada em xeque. Não é raro encontrar garotos afirmando que “amigo de mulher é cabeleireiro”.

A psicóloga diz que pode sim haver essa amizade e os dois se veem de forma assexuada. Ela analisa que quando um homem diz não haver amizade entre homem e mulher é porque teme que ela se envolva ou o troque pelo amigo.

Vale dizer que há homens que veem as mulheres como possíveis conquistas e acreditam que os outros homens pensem da mesma forma: nesse caso, eles não conseguem imaginar uma amizade entre ambos os sexos.

Homens inseguros também não acreditam na pureza desse tipo de amizade.

No entanto, isso não significa também que nunca possa existir algo mais entre amigos que venha a se apaixonar.

“Vai depender da maturidade de ambos em entender se a amizade é mais importante do que um possível envolvimento afetivo”, disse Olga Tessari.

Pode-se observar então que uma amizade está presente nos mais variados momentos de sua vida. Mas ela pode interferir na formação moral ou social de alguém? De acordo com Olga Tessari, nenhuma pessoa é capaz de mudar as nossas convicções morais ou sociais, somos nós que as mudamos se nos convier essa mudança.

Ela diz ainda que, no caso dos adolescentes, eles podem imitar, experimentar o diferente, o que não quer dizer que eles alterem a sua formação moral e social. “Mas é possível que, na construção de sua identidade adulta, os amigos colaborem para que ele reveja seus conceitos e valores determinados pelos seus pais, os seus referenciais de vida até então”, disse.

Sentimento Obsessivo

Levemos em conta que fazer coisas boas para si mesmo produzem substâncias no organismo, como a serotonina e a endorfina, que dão uma sensação de bem-estar. Então, se o sentimento de amizade é positivo, ele deve liberar tais substâncias também. Essa foi a conclusão de Olga Tessari sobre a química produzida no organismo devido ao sentimento de amizade.

No entanto, a amizade deixa de manifestar todas essas coisas boas “quando o jovem deixa outras pessoas de lado, quando altera sua rotina para somente estar com o amigo, quando ele procura afastar seu amigo de outros colegas, quando ele passa a viver a rotina do amigo ou quando ele apresenta problemas e alterações de comportamento na escola e em casa por conta do surgimento da insegurança e do medo de perder o amigo”, disse Olga Tessari.

Esse é um momento para os pais começarem a se preocupar com o filho, pois ele pode estar tendo um sentimento obsessivo. “É preciso levar esse jovem para fazer um tratamento psicológico porque ele está vivendo em função apenas do amigo, deixando-se de lado, o que vai colaborar para que sua auto-estima diminua, para que ele se torne inseguro, ansioso e cheio de medos, ciumento e até agressivo.”

Olga Tessari lembra os pais que nessa fase os filhos sempre irão contra eles, portanto, se os pais se opõem a uma determinada amizade, o jovem vai insistir em mantê-la cada vez mais, pois faz parte da rebeldia adolescente ser contra a opinião dos pais.

O que é amizade verdadeira para você?

FALA GAROTO

  • Amigo é aquele que ajuda, está sempre do lado, mesmo quando está em perigo. Apoia o outro no que faz. Isso é amigo. Daniel Souza, 15, estudante
  • Amizade verdadeira é aquela que dá para contar. Mas agora está difícil, os cara tão mentindo. Mas amigo apoia, o que você fala, ele entende. Mas está difícil hoje em dia.Chrysttian Kevin Fontes, 15, estudante

FALA GAROTA

  • É aquele que está sempre ajudando, é confidente, você confia. Sempre que precisa está perto para ajudar. Está com a gente para o que der e vier, que aconselha, conta segredos. Sâmera Cristina Gomes Pescada, 16, estudante
  • Uma pessoa que você confia, que não traia. Seja amiga de verdade, que sai junto, uma companheira. Tenho uma prima que considero uma amiga verdadeira. Jéssica Pâmela da Silva, 19, estudante.

Quero conhecer meu amigo virtual

As mídias sociais permitiram que as amizades sofressem mudanças significativas. Desde a comunicação entre os colegas de escola, os amigos do peito até aqueles que surgem nos ambientes virtuais e que acabam fazendo parte da vida da pessoa distribuindo carinho tanto quanto aos amigos presentes.

A adolescente Nina Menezes Ricci, de 15 anos, viveu uma situação assim. Depois que uma de suas amigas foi estudar em Botucatu, São Paulo, os contatos foram mantidos durante todo o tempo, até que a amiga voltou pra Cuiabá contando as novidades e sobre as amizades que fez na cidade, Nina ficou muito curiosa para conhecer as meninas e as adicionou no MSN e no Orkut.

“Na primeira conversa, falamos sobre muita coisa. Vimos que tínhamos muita coisa em comum, gostávamos de música, teatro, artes”. A amizade cresceu e foi ficando tão cúmplice que, depois de um ano elas resolveram que era hora de se conhecer. Euforia para as meninas, preocupação para os pais, claro.

Deixar ou não deixar a garota sair de Cuiabá para conhecer as amigas virtuais, uma questão e tanto para resolver. O fato é que depois de muita conversa entre as famílias, veio a resposta, o esperado sim. Nina pegou o avião sozinha, desembarcou em São Paulo, onde pegou uma vã no aeroporto e seguiu para a estância Demétria, onde a família da amiga a esperava.

“Fiquei na casa de uma delas, a Malú. Mas antes de ir nossas mães entrarem em contato, minha mãe conversou com a mãe dela, que nem acreditava que eu existia. Foi uma experiência maravilhosa, única. Conheci muita gente legal, fiz mais amizades interessantes, assisti aula em outra escola, conheci outro jeito de viver”.

As redes sociais contribuíram bastante para o fortalecimento das amizades de Nina. Mesmo hoje não conversando mais com tanta frequência, elas sempre mandam depoimentos contando tudo o que aconteceu no mês.

A psicóloga paulista Olga Tessari afirma que para os mais jovens, o contato virtual é tão importante quanto o real.

“Amigos de escola, que moram longe, podem continuar o seu contato fora da escola através da internet ou celular, com mensagens, troca de fotos, entre outros, o que propicia o fortalecimento da amizade”, disse ela.

A experiência vivida pela adolescente é cada vez mais frequente hoje em dia. Muitas amizades são construídas e desconstruídas pelo MSN e pelo Orkut. Mas a psicóloga alerta para os cuidados a serem tomados a fim de confiar em quem está do outro lado do PC.

“Conversar com a pessoa através de vídeo é uma forma de conhecê-la melhor. Mas, nada melhor do que o tempo para mostrar quem ela é de verdade. É preciso entender que, num primeiro momento, todos nós só mostramos o nosso lado bom e só revelaremos nosso lado ruim na medida em que conhecemos a pessoa”, finaliza Olga Tessari.

Matéria publicada na Gazeta Digital, Caderno Zine, por Valérya Próspero em outubro/2010

Leia o livro Dirija sua vida sem medo

Leia o livro Dirija sua vida sem medo

Um livro para todos aqueles que sofrem com seus medos, ansiedade, estresse, timidez, etc.

Leia o livro Amor X Dor: caminhos para um relacionamento feliz!

Leia o livro Amor X Dor

Um livro que aponta caminhos para ter e/ou manter um relacionamento feliz pela vida afora!

Siga Olga Tessari nas redes sociais: Youtube – Facebook – Instagram – Twitter – Linkedin

ID6

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *