• 25 jan 17

Magro e feliz!

Emagrecer evita problemas de saúde, melhora a autoestima e traz qualidade de vida.

Por: Olga Tessari
  • Emagrecimento eleva autoestima

     

    Entrevista com © Dra Olga Inês Tessari
    Os quilinhos a mais são um verdadeiro tormento na vida de muita gente.

    Com o emagrecimento, além de solucionar possíveis problemas de saúde como: hipertensão, diabetes, doenças cardiovasculares e até mesmo apnéia do sono, as pessoas buscam elevar o bem-estar, qualidade de vida e, principalmente, a autoestima.

    De acordo com a psicóloga clínica, Maria das Graças Guedes Alvim, a sociedade se preocupa muito com a questão estética. As academias de ginástica estão cada vez mais cheias de mulheres e homens em busca de corpos malhados e bem definidos. “Com isso, muitas vezes, um obeso se sente inferiorizado, já que ele não segue os padrões de beleza e inconscientemente, acaba transmitindo esse sentimento para os outros também”.

    Existem casos em que uma pessoa não é gordinha, mas se enxerga dessa forma. Mais do que simplesmente emagrecer, muitas vezes, ela precisa mudar apenas a forma como vê o próprio corpo. Melhorar essa imagem envolve uma mudança no modo de pensar e agir. Para isso, é importante um acompanhamento psicológico, que ajude o indivíduo a gostar dele mesmo. Os magros são considerados mais atraentes, elegantes, dinâmicos e, muitas vezes, superiores.

    Emagrecendo você se sentirá mais feliz, seguro e elegante. “Isso acontece porque a pessoa se olha no espelho e se acha bonita. É maravilhoso sair para comprar roupas e não ter dificuldades para encontrar o tamanho. Por se sentir mais bonita ao emagrecer, os passeios, que antes eram evitados, tornam-se mais freqüentes. As mulheres, por exemplo, começam a vestir roupas mais decotadas”, explica Olga Inês Tessari, psicóloga e psicoterapeuta.

    O segredo está na felicidade, ela torna as pessoas mais seguras e fortes para enfrentar qualquer tipo de situação. O otimismo também ajuda a melhorar os relacionamentos com a família e amigos. Além disso, todo bem-estar proporcionado pelo emagrecimento estimula as pessoas a desenvolver melhor o trabalho, a fazer passeios diferentes, ir ao clube, praia etc. É interessante observar que a saúde psíquica e física estão relacionadas. Se você estiver feliz com o seu corpo, estará de bem com você!

     

    Realize uma atividade física

    Não esqueça que uma forte arma no combate à obesidade é a prática de atividade física. Pessoas que realizam 45 minutos de atividades, pelo menos três vezes por semana, têm menos chances de desenvolver problemas físicos e psicológicos.

    Os exercícios só fazem bem!

    •Ajudam a relaxar;

    •Aliviam o estresse;

    •Queimam calorias;

    •Eliminam gordura;

    •Emagrece.

    Maria Cecília Vergueiro, personal training e coordenadora de Grupos de Emagrecimento do Centro de Nutrição, Atividade Física e Emoções (CENAFE), revela que o sucesso na busca da felicidade e auto-estima serão conquistados se, junto à dieta alimentar, as pessoas incluírem no processo de emagrecimento uma atividade física. “As atividades como, caminhadas, andar de bicicleta, entre outras, são fundamentais. Elas utilizam a gordura como fonte de energia, além de queimar várias calorias. A musculação também é indicada. Quando você aumenta a massa muscular, conseqüentemente, eleva o gasto calórico para manter essa massa”.

     

    Mantenha o peso

    Mais difícil do que eliminar alguns quilinhos é conseguir manter o peso desejado. Com a autoestima em alta e mudanças em alguns hábitos de vida, tudo fica mais fácil. Por isso:

    • Não leve as travessas com comida para a mesa;

    • Beba bastante água;

    • Convide os amigos para jogar uma partida de vôlei, por exemplo, em vez de sair para comer;

    • Alimente-se em lugares tranquilos;

    • Abaixe os talheres na mesa entre uma garfada e outra;

    • Antes de ir ao supermercado, faça uma lista e só compre o que estiver relacionado;

    • Não coma lendo ou vendo televisão;

    • Envolva a família no programa de reeducação alimentar e atividade física;

    • Faça as compras só depois de se alimentar;

    • Em casa, mantenha visíveis os alimentos mais saudáveis;

    • Evite aprender receitas de novos pratos ricos em calorias;

    • Pratique atividades físicas pelo menos três vezes por semana;

    • Inicie as refeições com uma salada;

    • Conheça o valor calórico dos alimentos;

    • Não fique muitas horas sem comer;

    • Evite ingerir gorduras.

     

    Matéria publicada no site Xenicare do Laboratório Roche