• 02 fev 17

Depressão infantil

Tristeza demais é doença! Fique atento com seu filho e saiba se ele tem depressão.

Por: Olga Tessari
  •  Depressão infantil

     

    AVISO: se seu filho sofre com a depressão infantil, procure um médico ou psicólogo urgente!

     

    Entrevista com © Dra Olga Inês Tessari

     

    Depressão infantil. O que é? É de extrema importância que a doença seja detectada o mais precocemente possível para evitar que ela volte a se desenvolver na idade adulta. Veja se seu filho sofre com a depressão infantil.

    Ao contrário do que muita gente pensa, depressão não é só tristeza. É um transtorno de humor capaz de comprometer o desenvolvimento da criança ou do adolescente, interferindo no seu processo de amadurecimento psicológico e social.

    Nessa fase, a doença afeta a qualidade de vida, o desempenho na escola e o ajuste pessoal. E é de extrema importância que a doença seja detectada o mais precocemente possível para evitar que ela volte a se desenvolver na idade adulta.

    O problema é que nem sempre os pais e os professores sabem como descobrir a depressão – que, muitas vezes, é confundida com hiperatividade, déficit de atenção ou problemas de aprendizado. Isso vem preocupando especialistas em infância e adolescência, pois o número de pacientes mirins aumenta a cada ano, mas nem todos eles recebem a atenção devida.

     

    Causas

    São inúmeros os fatores que causam a depressão infantil em crianças e adolescentes. Atritos familiares, solidão, rejeição por parte dos amigos, problemas econômicos na família, cobrança exagerada em relação ao desempenho escolar, falecimento de um familiar ou a separação dos pais são alguns deles.

    Estudos apontam que a violência urbana, o excesso de atividades na agenda diária e a falta de espaço para o lazer também são fatores que desencadeiam a doença. O mesmo é dito da conduta atual de se atribuir às crianças responsabilidades dos adultos: isso pode resultar em uma sobrecarga afetiva incompatível com a faixa etária.

    O fator genético também é importante: se a criança tem pais depressivos, tem alta probabilidade de sofrer com o problema. Um dado curioso é que a deturpação de alguns valores da sociedade também tem culpa na incidência da depressão.

    Uma pesquisa realizada com crianças e adolescentes na Austrália, divulgada pela CNN-Saúde, revelou que crianças materialistas seriam mais propensas à depressão, pois equiparam a felicidade ao dinheiro e a fama à beleza.

    E, além da depressão, alguns transtornos alimentares, como a anorexia e a bulimia, também estão relacionados à mentalidade competitiva de algumas crianças e adolescentes.

    “Crianças que não sabem lidar com limites, que têm baixa tolerância à frustração, comportamento manipulativo, alta impulsividade, dificuldade em aceitar a realidade poderão entrar em depressão toda vez que houver uma ameaça de destruição desse mundo ilusório em que foram criadas”, comenta Olga Tessari.

     

    Matéria publicada no jornal A Tribuna News – Mato Grosso do Sul em 12-11-2007