Dia das Mães: momento especial

Dia das Mães: momento especial

Dia das Mães: momento especial

É um dia especial para as mães, que aguardam ansiosas a lembrança de seus filhos!

Entrevista com © Dra Olga Tessari

O Dia das Mães é um momento especial para elas!

Conhecendo a origem

Não é à toa que o dito popular ‘mãe é uma só’ vem sendo utilizado há muito tempo, pois desde a Grécia Antiga, na primavera, havia a celebração em honra a Rhea, a mãe dos deuses.

Em 1600, surgiu o chamado Mothering Day, para que as mães da Inglaterra pudessem ser honradas, fato que deu origem ao ‘mothering cake’, um bolo para as mães, que tornaria o dia ainda mais festivo.

Em 1907, Ana Jarvis, da Filadélfia, iniciou uma campanha para estabelecer o Dia das Mães nacional. Ela sugeriu celebrar a data no segundo aniversário da morte de sua mãe, um segundo domingo do mês de maio. Ana Jarvis e seus apoiadores firmaram-se no propósito de estabelecer o Dia das Mães nacional. Sua campanha prosperou e, em 1911, o Dia das Mães foi celebrado em quase todos os Estados. Finalmente, em 1914, o presidente Wilson decretou oficialmente o Dia das Mães como um feriado nacional, fixado no segundo domingo de maio de cada ano.

Um pouco de reflexão

Existem vários tipos de mães, umas que cuidam demais, outras que são autoritárias, aquelas que deixam seus filhos crescerem de uma maneira mais liberal. Poderíamos citar vários títulos diferentes, e com certeza encontraríamos também muitas mães que se encaixam em muitos destes perfis ao mesmo tempo.

Ser mãe, educar, preparar aquele pequeno ser para uma vida… que tarefa séria. Muitas vezes podem surgir perguntas – será que estou fazendo tudo certo? Como a educação que estou dando irá interferir na vida de meu filho? Será que eu sei ser mãe?

Nem sempre as respostas aparecem no momento que deveriam, deixando essas interrogações abertas e gerando novas dúvidas. Mas, com certeza, aquele sentimento indescritível de segurar seu pequeno bebê, alimentá-lo, vê-lo crescer, enfim, estar com ele, dando de si aquilo o que puder dar, amor, qualidade, são muitas vezes um ponto final a tantas dúvidas e medos que sempre irão surgir no decorrer da vida.

Não importa a idade dos filhos, não importa o tipo de mãe. Pois quantidade sem qualidade não preenche a necessidade e muito menos diminui algumas culpas de muitas mãe por precisarem estar ausentes).

Não poderíamos terminar esta homenagem, sem antes falarmos das avós. Chamadas de ‘segundas mães’, muitas delas, por infinitas vezes, estão ao lado e mesmo à frente da educação de seus netos. Com sua sabedoria, experiência e, com certeza, um sentimento maravilhoso de estar vivenciando os frutos de seu fruto, ou seja, a continuidade das gerações.

Palavra de especialista

A psicóloga Olga Tessari adverte que a mulher precisa aprender a lidar com a questão de que não é perfeita. “Não dá para ser a excelente dona de casa, mãe e profissional ao mesmo tempo. É claro que você quer sempre fazer o melhor, mas é impossível. Até aquelas mulheres que decidem ser apenas donas de casa, percebem que não atingem o seu objetivo final que é, por exemplo, deixar a casa impecavelmente limpa ou arrumada. Quem consegue isso?”.

A psicóloga comenta que costuma receber em seu consultório “os dois tipos de mães”. “Existem aquelas que resolveram ser 100% mães, aí, quando os filhos crescem e vão cuidar da sua própria vida, acabam entrando em depressão porque não sabem mais o que fazer. Por outro lado, tem aquelas que trabalham fora e sentem a culpa de não estarem sendo boas mães”, explica Olga Tessari.

A psicóloga garante que que é possível conciliar a vida profissional com a familiar.

“A mulher precisa aprender a reservar um tempo diário para os filhos, o importante não é quanto tempo ela fica ao lado deles, mas sim a qualidade deste tempo. Às vezes, tem muita mãe de período integral que dá menos atenção ao filho do que aquelas que trabalham fora, pois, cada vez que um filho a chama, ela responde ‘agora não dá, estou lavando louça, estou fritando bolinhos’, etc…”.

“Nem que seja meia hora por dia, o importante é seu filho perceber que naquele período você dará atenção somente a ele”, disse Olga Tessari.

Na atual realidade econômica do país, Olga Tessari lembra que muitas mulheres estão sendo obrigadas a trabalhar por necessidade, para ajudar o marido no orçamento familiar.

“Por isso, ela precisa aprender a delegar funções, como ter uma faxineira, por exemplo… mas não adianta ficar se lamentando que ela não limpa a casa como você o faria… Também é fundamental dividir as responsabilidades domésticas com o marido”, disse a psicóloga.

Outro conselho da psicóloga é que as mulheres não esqueçam de cuidar de si próprias.

“Normalmente acabam colocando os filhos, o marido, a casa, o trabalho na frente, se deixam de lado e isso pode gerar depressão. Aprenda a dividir o seu tempo. Não existe mal nenhum se um dia, por exemplo, ao invés de preparar um jantar, optar por um prato congelado e utilizar esse período extra para ler um pouco aquele livro que você nunca consegue terminar”, disse Olga Tessari.

Sugestões de presente para o Dia das Mães

O dia das mães está chegando, e uma das dúvidas que muita gente fica nessa época é o presente para a mãe. Se neste ano a ideia é inovar no presente, para não cair nas escolhas convencionais, uma opção bacana são os presentes tecnológicos. Um das melhores coisas é receber presentes, e com certeza sua mãe pode até falar que não deseja nada de especial, mas não será interessante surpreendê-la e presenteá-la com um presente bem especial?

Lembre-se que o ato de presentear tem que ser feito com amor e de coração, muitas vezes, um abraço, um sorriso, dizer para sua mãe ‘eu te amo’ ou ‘lembrei de você’ vale muito mais do que um presente caríssimo.

Antes de entrar nas dicas e sugestões para presentes no dias das mães, existem algumas coisas que não custam caro e fazem toda diferença no Dia das Mães, como entregar um cartão, ramo de flores, beijo, abraço, etc. Se pensarmos que existem diferentes tipos de pessoas e gostos, acontece a mesma coisa com as mães, são diferentes tipos que gostam de diferentes tipos de presentes.

Uma mãe moderna gosta dos presentes mais atuais, celulares, filmadora, acessórios para o cabelo – prancha, secador, etc, Ipod, MP3, MP4, etc, óculos de Sol.

As mães intelectuais gostam das coisas mais discretas e sérias, como relógio de pulso, livros, CDs, DVDs, agendas, vinhos, notebook, jóias, palmtop.

As mães com personalidade clássica são muito caseiras e amorosas, se contentam com um buquê de flores, um perfume ou um beijo carinhoso, perfumes, roupa, utensílios para cozinha, celular, câmera fotográfica.

Matéria publicada no Jornal Panorama Regional -Edição 340 – Especial Dia das Mães -10 de maio de 2009

DM2id526

Leia o livro Dirija sua vida sem medo

Leia o livro Dirija sua vida sem medo

Um livro para todos aqueles que sofrem com seus medos, ansiedade, estresse, timidez, etc.

Leia o livro Amor X Dor: caminhos para um relacionamento feliz!

Leia o livro Amor X Dor

Um livro que aponta caminhos para ter e/ou manter um relacionamento feliz pela vida afora!

Siga Olga Tessari nas redes sociais: Youtube – Facebook – Instagram – Twitter – Linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *