Mulheres traídas

Mulheres traídas

Mulheres traídas

Entrevista com Olga Tessari

*as respostas de Olga Tessari estão registradas de acordo com a Lei de Direitos Autorais

Mulheres traídas

1- Por que a senhora escolheu se especializar no tratamento de mulheres traídas?

Dra Olga Tessari: Na verdade, como a maioria das pessoas que me procura é do sexo feminino, acabei me especializando em mulheres e o tema traição faz parte do contexto delas, sendo elas as traídas ou as traidoras, o que não quer dizer que eu não trabalhe com muitos homens também.

2- Qual a variação de idade de seus pacientes?

Dra Olga Tessari: Desde os mais jovens (em torno de 16 a 25 anos) até os da terceira idade (a pessoa de mais idade que me procurou tinha 65 anos na época)

3- Quais as características mais peculiares dessas pessoas ? E em que estágio procuram sua ajuda?

Dra Olga Tessari: Todas se sentem traídas em sua confiança pelo parceiro(a) e ficam se perguntando se tem culpa e o que foi que fizeram para que seu parceiro(a) as tenha traído. Dificilmente admitem que a culpa seja do cônjuge ou de ambos.

4- Qual a forma de tratamento aplicado?

Dra Olga Tessari: Psicoterapia breve de base comportamental-cognitiva, uma vez por semana, com 50 minutos de duração. O prazo de tratamento por volta de 3 a 6 meses em média.

5- Na maioria das vezes qual o motivo que essas pessoas atribuem a traição de seus companheiros?

Dra Olga Tessari: Como eu disse acima, elas ficam procurando em si mesmas as causas: “O que foi que eu fiz? Sempre fiz de tudo por ele!”, elas dizem, mas não conseguem entender o que os levou a traí-las, uma vez que elas acham que fazem de tudo por eles, que não mereciam ser traídas.

6- De que forma o paciente reflete seu problema, com os amigos e família?

Dra Olga Tessari: Como a autoestima da pessoa traída diminui drasticamente, ela foge do convívio familiar e social, isola-se e chora muito: é bem comum a pessoa entrar em um estado depressivo.

7- Quando descoberta a traição, é comum a mulher continuar com a pessoa que a traiu?

Dra Olga Tessari: Em geral sim, por causa da necessidade da segurança financeira, principalmente se ela não trabalha fora, se ela é apenas dona de casa. Mas, como a maioria das mulheres hoje em dia tem condições de se sustentar sozinha, é comum ela não aceitar a traição e pedir a separação (se for por este motivo).

Mas, mesmo tendo condições de se manter sozinha financeiramente, muitas vezes, a mulher mantém o casamento por causa dos filhos, por temer o desconhecido, por ter que cuidar de si mesma sozinha (algo que ela costuma delegar ao marido/parceiro), por ter que assumir sozinha a responsabilidade de se sustentar e de educar os filhos, entre outros motivos.

8- Até que ponto uma pessoa pode chegar quando ciente da traição?

Dra Olga Tessari: Tudo vai depender da personalidade da pessoa e de como ela lida com esta situação. Eu já tive casos em que a mulher, ao saber da traição, tentou esfaquear ou agredir o parceiro por se sentir extremamente ofendida e magoada e, no outro extremo, muitas mulheres “fazem de conta” que nada está acontecendo, apesar de sofrerem muito com isso.

9- Qual o caso mais corriqueiro, a traição entre namorados ou casais já estabilizados?

Dra Olga Tessari: A traição pode acontecer a qualquer momento, em qualquer dos casos.

No caso de namorados, como ainda não há um vínculo profundo, pode acontecer de a pessoa trair porque ela ainda está procurando ou experimentando novos relacionamentos e tendo “um caso” com vários até escolher com qual ela quer ficar em definitivo.

Em casais estabilizados, passada a fase do novo, da vã tentativa de “mudar” o parceiro, ao se perceber que ele(a) não corresponde exatamente àquilo que se esperava, é comum buscar uma outra pessoa fora da relação para preencher lacunas e vazios que faltam no relacionamento do casal.

10- Por quais meios a pessoa fica sabendo da traição?

Dra Olga Tessari: Vários! Através de cartas, telefonemas anônimos, e-mails, celular, amigos que relatam o fato ou mesmo porque o parceiro deixou pistas muito visíveis!

Algumas pistas: celular que toca em horas impróprias e ele vai conversar escondido, extrato do banco indicando gastos que não estavam no orçamento, camisa suja de batom, o fato do parceiro chegar tarde em casa ou mesmo ficar irritado com cobranças dela com as quais ele antes não se importava, o fato do parceiro já não a procurar tanto para fazer sexo, etc.

Aos poucos, a mulher começa a relacionar certos fatos e passa a desconfiar do parceiro. Daí é apenas uma questão de tempo para confirmar o que ela já suspeitava!

11- Em média quanto tempo é necessário para o paciente se recuperar?

Dra Olga Tessari: Tudo vai depender de cada caso… há pacientes que se recuperam rápido, outros que levam anos para se recuperar… em média, de 6 meses a um ano.

12- As pacientes mulheres que são traídas tem uma vida profissional ativa ou são na maioria donas de casa?

Dra Olga Tessari: A traição independe do fato delas trabalharem fora de casa ou não.

13- Existe algum conselho especial para a pessoa que foi traída?

Dra Olga Tessari: Em primeiro lugar, dialogar com o parceiro para tentar entender esta traição, procurar saber quais teriam sido os motivos para ele traí-la. É difícil ter essa conversa aberta e franca, mas ela é necessária!

Depois, a mulher precisa refletir se ela terá condições emocionais de perdoar a traição, caso queira manter este relacionamento! Na grande maioria das vezes, um acompanhamento psicológico é necessário para auxiliar nesta reflexão para decidir se ela vai querer manter o relacionamento ou não.

Pelo fato dela estar muito afetada/abalada com a traição, é bem comum ela não ter condições, neste momento, de fazer uma reflexão adequada para si mesma sozinha.

14- O quanto e como mexe com ego de uma pessoa a traição?

Dra Olga Tessari: Depende da importância que o parceiro traidor tem na vida dela!

Se ele tem um grande valor para ela, se existe um vínculo forte entre eles, é comum a mulher apresentar uma queda drástica na sua autoestima, ela pode acabar se tornando depressiva, ter seu peso drasticamente alterado, tornando-se obesa ou, ao contrário, desenvolvendo a anorexia, entre tantos outros distúrbios como consequência dessa quebra na confiança que ela tinha nele.

Por outro lado, se a pessoa traída é alguém por quem ela não tem um bom vínculo, tem pouco valor ou ela mantém uma relação “morna” com o parceiro, a dor e o sofrimento serão bem menores, de muito menor intensidade. O que não quer dizer que ela não vai sofrer com essa quebra da confiança.

15- Existem casos em que a mulher sabe da traição e continua o relacionamento e acaba se anulando. Quais são os principais motivos para continuar este relacionamento?

Dra Olga Tessari: Na maioria das vezes, a mulher mantém a relação por uma necessidade financeira, pelo status adquirido, por medo de dilapidar o patrimônio, por causa dos filhos, pelo medo de enfrentar a vida sozinha

16- As mulheres de hoje tem muita dificuldade em construir um relacionamento?

Dra Olga Tessari: A dificuldade de construção de um relacionamento independe do sexo! As pessoas, em geral, desejam se relacionar, vivem em busca do parceiro ideal.

Se existe a dificuldade de se relacionar por parte de algumas pessoas, provavelmente ele se deva por uma infinidade de fatores, mas não necessariamente por causa do medo da traição.

Alguns motivos que podem estar relacionados a essa dificuldade: pode ser por medo da relação não dar certo, por medo de perder a liberdade adquirida, por medo de não conseguir manter economicamente uma casa e família, por nunca encontrar o “parceiro ideal”, etc.

Entrevista para o site da Faculdade Anhembi-Morumbi por Janaína Felice Raimundo

261

Siga Olga Tessari nas redes sociais: Youtube – Facebook – Instagram – Twitter – Linkedin

olga_tessari
Olga Tessari

Psicóloga (CRP06/19571), formada pela Universidade de São Paulo (USP), pesquisa e atua com novas abordagens da Psicologia Clínica, em busca de resultados rápidos, efetivos e eficazes, voltados para uma vida plena e feliz. Ama o que faz e segue estudando muito, com várias especializações na área. Consultora empresarial, também atua levando saúde emocional para as empresas. Escritora, autora de 2 livros e coautora de muitos outros. Realiza cursos, palestras e workshops pelo Brasil inteiro e segue atendendo em seu consultório ou online adolescentes, adultos, pais, casais, idosos e famílias inteiras que buscam, junto com ela, caminhos para serem felizes!

Siga Olga Tessari nas redes sociais: Facebook – Youtube – Instagram – Twitter – Linkedin

Deixe um comentário