Bulimia e anorexia em homens

Bulimia e Anorexia em homens

Bulimia e anorexia em homens

Alerta! Homem também sofre bulimia e anorexia

Entrevista com Olga Tessari

Bulimia e anorexia – exagero do culto ao corpo

Toda vez que se ouve falar em doenças como anorexia e bulimia logo vem à cabeça a imagem de mulheres extremamente preocupadas com a aparência e que para se manter em forma são capazes de qualquer loucura.

Mas o culto ao corpo não é exclusividade do universo feminino. Os homens também estão cada vez mais preocupados com sua imagem, por isso não hesitam em adotar uma dieta radical e até mesmo vomitar (bulimia) para evitar engordar. A bulimia e a anorexia em homens é uma realidade.

Bulimia e Anorexia em homens

Dados do Núcleo de Transtornos Alimentares e Obesidade (Nuttra) da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro apontam que a quantidade de homens que procuram tratamento para estes problemas aumentou cinco vezes de 2002 para 2003. O maior número de casos está entre os homens na faixa dos 18 e 26 anos.

Os dois casos preocupam os profissionais de saúde. Na anorexia, a pessoa sempre acha que está acima do peso e por isso não pensa duas vezes em fazer dietas absurdas e até parar de comer. Nos casos de bulimia, a pessoa desenvolve uma espécie de sentimento de culpa com relação ao que come, por isso tenta vomitar tudo que comeu.

Há quem tome diuréticos na tentativa de não deixar nada no organismo.

Para os especialistas, as duas doenças resultam das pressões sociais para ter um corpo perfeito, considerado ideal para os padrões de beleza. A necessidade de ser aceito faz com que muitos jovens exagerem em suas dietas, observa a psicóloga Olga Tessari, de São Paulo, que trabalha com estes transtornos desde 1984.

“A maioria dos jovens que desenvolvem estes problemas tem uma visão distorcida da própria imagem e acredita que para ser feliz precisa ter o corpo como o de atores de TV. Eles acreditam que, para namorar e ter status na sociedade, devem ser cada vez mais magros”, diz Olga Tessari.

Segundo a psicóloga, geralmente, a anorexia surge após várias dietas. Ela conta que já atendeu casos em que o adolescente estava muito magro, mas achava que a pele que se formava na sua barriga era gordura.

“Quem sofre com esses males, acredita que vomitar impede que o alimento seja absorvido pelo organismo e, porque constatam na prática que vão emagrecendo aos poucos, acreditam que seja porque praticam esse ato”, diz Olga Tessari.

A nutricionista rio-pretense Vera Nicoleti Siqueira explica que ao vomitar o que comeu, a pessoa praticamente elimina todos os nutrientes. Fica pouco no organismo, mas o prejuízo é muito grande porque o que é absorvido é insuficiente para o bom funcionamento do corpo, afirma.

Na bulimia e anorexia em homens, a diferença é que eles não chegam à extrema magreza. Geralmente, os meninos já foram obesos e por medo de engordarem novamente, tornam-se radicais com relação à alimentação.

Outra característica que diferencia é a idade. Enquanto nas meninas o problema acontece com frequência a partir dos 13 anos, nos garotos a doença vem mais tarde, por volta dos 18.

Consequências

O que estes jovens desconhecem (ou ignoram) são as consequências de banir uma alimentação saudável de suas vidas.

A bulimia, por exemplo, reduz a quantidade de potássio no organismo, essencial para o coração. Já a anorexia é porta aberta para problemas circulatórios. Tanto a anorexia quanto a bulimia, para o alerta de pais e adolescentes, podem levar à morte.

Segundo a nutricionista Vera Nicoleti, quando se deixa de ingerir carboidrato, sais minerais e proteína aos poucos o corpo vai ficando desnutrindo. A longo prazo, a falta de nutrientes traz diversos problemas.

Pesquisa

Pesquisadores da Universidade de Sydney, em Nova Gales do Sul (Austrália), descobriram que os distúrbios alimentares estão crescendo entre homens universitários. Um em cada grupo de cinco homens que estão na faculdade se preocupa com o peso e com a forma física, por isso segue regras sobre o que pode ou não comer, e limita a ingestão de alimentos.

Para o estudo foram entrevistados 93 universitários, que falaram sobre hábitos de dieta e de prática de exercícios, além de questionados sobre sua autoimagem.

Os entrevistados receberam diagnósticos clínicos de compulsão alimentar (3%), vômito auto induzido (3%), bulimia nervosa (2%), e distúrbios da prática de exercícios (8%), informaram as pesquisadoras.

Outros resultados mostraram que entre 9% e 12% dos universitários estavam insatisfeitos com a forma física, sentiam-se gordos e queriam muito perder peso.

Saiba mais:

  • O doente portador de anorexia se acha gordo mesmo sem estar acima do peso
  • O anoréxico faz dietas absurdas ou para de comer, o que é considerado uma doença psiquiátrica fatal
  • Nos casos de bulimia, o doente fica com sentimento de culpa após comer e provoca vômitos
  • O bulímico chega a tomar laxantes para não engordar
  • O tratamento para estas duas doenças deve ser multidisciplinar, envolvendo psiquiatra, psicólogo e nutricionista, entre outros profissionais

Sinais!

Os pais devem ficar atentos para o comportamento dos filhos, pois eles podem ser vítimas da bulimia e anorexia em homens quando:

  • Recusam-se sentar à mesa durante as refeições
  • Diminuem cada vez mais a quantidade de alimento
  • Deixar de comer alimentos que antes gostavam
  • Logo depois de se alimentarem, vão direto para o banheiro
  • Apresentam emagrecimento acentuado
  • Preocupam-se demais com a possibilidade de ganho de peso

Consequências:

Anorexia

Além de alterações metabólicas, gastrointestinais, cardiovasculares e neuroendócrinas, outros transtornos mentais podem estar associados à anorexia, como depressão e características obsessivo-compulsivas

Bulimia

Alterações cardiovasculares, gastrointestinais, metabólicas associadas a transtornos de humor e de ansiedade. Pode haver também desgaste do esmalte dentário e hipertrofia das glândulas salivares.

Fonte – Neide Micelli Domingos, psicóloga da Famerp

O tratamento deve ser multidisciplinar

O tratamento para doenças como bulimia e anorexia em homens e mulheres deve ser multidisciplinar para que tenha eficácia. Psiquiatra, psicólogo e nutricionista (além de outros profissionais, caso haja a presença de alguma doença) são necessários para recuperar o doente.

Depois de diagnosticada a doença, o anoréxico ou bulímico deve começar a se alimentar sob a supervisão de um nutricionista. No início, o ideal é tomar líquidos, de forma fracionada, de duas em duras horas, ou de acordo com o período previsto no tratamento.

Aos poucos é que vamos introduzindo alimentos sólidos e pastosos até que a alimentação volte ao normal, diz Vera Nicoletti. Pode ser que durante o tratamento o doente rejeite a comida, cabendo aos profissionais descobrir alternativas para reparar a insuficiência alimentar.

Nestas horas, a terapia é fundamental para que o garoto (ou garota) recupere a autoestima.

Um dos tratamentos utilizados é a terapia cognitivo-comportamental, que faz com que o doente lide melhor com os fatores que o levaram a ter uma visão distorcida sobre si mesmo. É um trabalho de conscientização, já que a maioria dos adolescentes acha que sabe tudo, daí a importância de buscar caminhos alternativos, ressalta a psicóloga Olga Tessari.

Um dos agravantes para o comportamento da pessoa anoréxica ou bulímica é o fato de se basear muito na opinião alheia antes de ter a doença instalada no organismo. Ou seja, sem gostar de si mesma, ela dá muito valor ao que o outro diz a seu respeito.

Daí se ajustar aos padrões é um pulo. Geralmente, o bulímico, por exemplo, esconde seu comportamento de todos, principalmente dos pais.

Os pais, por sua vez, não percebem tanto a mudança no corpo do adolescente, mas sim aqueles que estão de fora e não tem convivência diária com ele.

Ao iniciar um tratamento, os pais devem ficar muito atentos, pois se as orientações não forem seguidas à risca, a doença pode ser fatal.

Nos garotos, o problema é grave, mas não chega a ser tão grave como em meninas, que se exigem cada vez mais.

A nutricionista Vera Nicoleti conta que também já atendeu casos de bulimia e anorexia em mulheres na faixa de 40 anos, cujo problema era associado com depressão.

Serviço:

  • Vera Nicoleti Siqueira, nutricionista, fone (17) 234-4582
  • Olga Tessari, psicóloga, em São Paulo, fone (11) 3275-3066, site: www.ajudaemocional.com
  • Neide Micelli Domingos, psicóloga do Serviço de Psicologia da Faculdade de Medicina de Rio Preto (Famerp), fone (17) 210-5890

Leia mais sobre ANSIEDADE

Matéria publicada no site Diarioweb – São José do Rio Preto, 9 de maio de 2004 por Fabiano Ferreira

271

olga_tessari
Olga Tessari

Psicóloga (CRP06/19571), formada pela Universidade de São Paulo (USP), pesquisa e atua com novas abordagens da Psicologia Clínica, em busca de resultados rápidos, efetivos e eficazes, voltados para uma vida plena e feliz. Ama o que faz e segue estudando muito, com várias especializações na área. Consultora empresarial, também atua levando saúde emocional para as empresas. Escritora, autora de 2 livros e coautora de muitos outros. Realiza cursos, palestras e workshops pelo Brasil inteiro e segue atendendo em seu consultório ou online adolescentes, adultos, pais, casais, idosos e famílias inteiras que buscam, junto com ela, caminhos para serem felizes!

Siga Olga Tessari nas redes sociais: Facebook – Youtube – Instagram – Twitter – Linkedin