Mentir traz sofrimento

Mentir traz sofrimento

Mentir traz sofrimento*

*Texto de ©Olga Tessari

Infelizmente, a mentira faz parte da existência humana!

Aprendemos a mentir desde crianças, quando o telefone toca e, ao atendermos, nossa mãe manda dizer que não está ou quando levamos uma bronca ao dizermos que não gostamos da tia ou de outra pessoa e nossos pais nos dizem que devemos ser educados e fazer de conta de gostamos de quem não gostamos!!

Mentir acaba se tornando um mal necessário que, no final das contas, serve para evitar problemas maiores, algum tipo de sofrimento, vários conflitos, brigas, mal-entendidos, discussões e confusões, seja no relacionamento familiar, no trabalho, entre amigos ou mesmo nos relacionamentos afetivos.

E por que as pessoas mentem?

Em geral, as pessoas fazem uso da mentira para se protegerem de um mal maior, caso a verdade venha à tona, como quando mentimos para a nossa mãe, dizendo que não sabemos quem quebrou o vaso, por medo de levar um castigo. Também mentimos quando a verdade é difícil de ser aceita ou compreendida, como relatar a morte para uma criança, dizendo que ela virou uma estrelinha ou foi para o céu.

Mas também é comum a mentira quando alguém quer se fazer importante diante de outras pessoas ou para se sentirem pertencendo a um grupo: é o caso da pessoa que inventa ter ido ao Caribe nas férias, quando na verdade tomou sol na laje de casa, só para se sentir importante dentro de um grupo de pessoas que relataram sua viagens de férias ao exterior.

Por que as pessoas mentem? Em geral, o objetivo básico da pessoa, ao mentir, é no sentido de procurar evitar algum sofrimento. Mas a mentira também traz sofrimento para quem mente porque a pessoa mentirosa precisa estar atenta e vigilante o tempo todo para manter a sua mentira e jamais cair em contradição em relação ao que mentiu.

O pior estrago que uma mentira pode provocar é quando ela é descoberta! Não importa o tamanho da mentira e nem os motivos que levaram a pessoa a mentir, a pessoa mentirosa passa a ser vista com desconfiança e perde a credibilidade.

Mentir compulsivamente traz sofrimento!

Infelizmente, existem pessoas que mentem de forma compulsiva, justamente porque, em algum momento começaram a mentir e não conseguiram mais parar, inventando cada vez mais fatos para protegerem a sua mentira inicial.

O mentiroso compulsivo tem sua vida esvaziada, vive uma fantasia e paga um preço alto por isso pois perde sua identidade e sua autoestima. Sim, porque ao inventar uma mentira, ele precisa pensar e agir o tempo todo para manter sua mentira como uma verdade, sem cair em contradições e, principalmente, pensando em todos os detalhes para que sua mentira não venha à tona em algum momento futuro.

É muito comum o mentiroso contumaz sofrer com transtornos de ansiedade, criar comportamentos compulsivos como comer demais, jogar, etc., como forma de tentar aplacar a ansiedade que sente por ter que manter sua mentira a todo custo!

Pare e pense: se mentir é uma forma de evitar um sofrimento, se quem mente compulsivamente sofre por conta de suas mentiras, é preciso acabar com esse sofrimento de uma vez por todas, não é?

O mentiroso mente tanto que acaba acreditando em suas mentiras e não percebe o sofrimento atroz que elas causam a ele uma vez que, como já disse anteriormente, o mentiroso acaba perdendo sua própria identidade e autoestima.

Então, o tratamento psicológico (psicoterapia) torna-se o melhor caminho para que a pessoa pare de mentir compulsivamente, para que ela retome sua verdadeira identidade e melhore sua autoestima.

*Copyright ©Olga Tessari

MEN11-717

Leia o livro Dirija sua vida sem medo

Leia o livro Dirija sua vida sem medo

Um livro para todos aqueles que sofrem com seus medos, ansiedade, estresse, timidez, etc.

Leia o livro Amor X Dor: caminhos para um relacionamento feliz!

Leia o livro Amor X Dor

Um livro que aponta caminhos para ter e/ou manter um relacionamento feliz pela vida afora!

Siga Olga Tessari nas redes sociais: Facebook – Youtube – Instagram – Twitter – Linkedin

Olga Tessari

Olga Tessari, Psicóloga (CRP06/19571), formada pela Universidade de São Paulo (USP), pesquisa e atua com novas abordagens da Psicologia Clínica, em busca de resultados rápidos, efetivos e eficazes, voltados para uma vida plena e feliz. Ama o que faz e segue estudando muito, com várias especializações na área. Também é escritora, autora de 2 livros e coautora de muitos outros. Realiza cursos, palestras e workshops pelo Brasil inteiro. E ela segue atendendo em seu consultório ou de forma online (pela internet) adolescentes, adultos, pais, casais e famílias inteiras que buscam, junto com ela, caminhos para serem felizes, cada um com sua própria definição do que é felicidade!

Deixe um comentário