Conflitos de adolescentes com pais

Conflitos de adolescentes com pais

Conflitos de adolescentes com pais

Por que é tão difícil ser adolescente? Um grupo de smackers abre o jogo e conta tudo sobre a sua relação com os pais

Entrevista com Olga Tessari

Ser adolescente

Os amigos são tudo. Os pais nunca a entendem. Há dias em que tudo parece simples e outros que são tempestade pura, quando você só quer gritar com o mundo, dizendo que todos estão errados.

É, a adolescência é assim, o corpo estica, arredonda, cresce para todos os lados. Quando percebe, você está dentro de uma nova embalagem e tem dificuldade para se reconhecer dentro dela.

Mais dificil ainda é reconhecer as mudanças que estão acontecendo dentro da sua cabeça e fica a milhão com tanta coisa para pensar: escola, irmãos mais novos e os mais velhos também, as amigas, os garotos e seus pais.

Conflitos de adolescentes com pais

Ah, os pais… como é que do nada eles parecem não entender uma palavra do que você fala? Quando foi que eles se tornaram chatos? Quem são essas pessoas tão por fora e que não entendem nada?

Na verdade, são os mesmos pais de sempre. Quem mudou foi você. Pense bem, quando você grita por causa de uma roupa ou bate a porta do quarto porque não poderá ir ao shopping, é um comportamento infantil. E tem ainda o excesso de agressividade com que você ataca todos.

Seus pais também querem entender essa nova pessoa que fica cada dia mais independente e está aprendendo a ser madura. Mas que ainda tem muito que aprender.

Será que dá para passar por esse período em paz com os pais? Dá sim. Respeito e doses cavalares de paciência ajudam bastante.

A psicóloga explica:

Segundo a psicóloga Olga Tessari, a adolescência é o período em que a garota deixa de lado os valores dos pais para criar seus próprios valores. “Muitas vezes, as adolescentes precisam testar gostos e pensamentos diferentes dos pais para descobrirem quem realmente são, a sua verdadeira personalidade como indivíduo”, disse ela.

Essa busca pelos valores é que costuma causar um choque direto com os pais. Você quer muito ser ouvida, mas, por outro lado, não se esqueça de que eles têm mais experiência. Parece estranho, mas seus pais já foram adolescentes também, e podem dar toques importantes para que você passe por tudo isso de uma maneira mais fácil.

“A adolescência é um período de conflitos e mudanças para qualquer menina. E vocês vão se dar melhor se esse conflito for bem administrado com muita conversa e compreensão”, aconselha a doutora Olga Tessari.

O lado dos pais

A psicóloga Olga Tessari deixa claro que os pais também têm razão de reclamar do comportamento dos filhos.

“Se a adolescente quer mostrar que cresceu, está na hora de agir como tal. Nada de fazer cara feia ou ter comportamentos infantis diante de uma bronca ou proibição porque isso vai mostrar aos seus pais que você continua sendo uma criança”, disse Olga Tessari.

Ela alerta, por outro lado, para o fato de que muitos pais podem não se conformar por ter perdido o posto de heróis insubstituíveis dos filhos.

“Alguns pais têm dificuldade de suportar o olhar crítico dos jovens, que começam a questionar tudo e passam a ver os pais como são: pessoas com todos os defeitos e qualidades, porém com muito mais experiência”.

Lembre-se de que você também tem um monte de defeitos e que, por isso, é bacana pensar no lado dos pais e ouvir o que eles têm a dizer.

Lista de Direitos

OS DIREITOS DO SMACKER

  • Ser ouvida e poder expressar suas ideias
  • Ter seu espaço, como o quarto, por exemplo, respeitado pelos pais
  • Manter sua privacidade, por exemplo, ao telefone, com seu diário pessoal e em suas conversas
  • Poder argumentar seu ponto de vista, quando deseja algo com que os pais não concordam, como usar roupas pretas ou salto

OS DIREITOS DA MÃE

  • Pedir mais responsabilidades, como manter o quarto arrumado, po exemplo
  • Cobrar da filha a responsabilidade pelo cuidado com seu corpo e com suas coisas
  • Participar da vida das filhas e orientar as escolhas sempre
  • Ser respeitada sempre e ter a última palavra em tudo, porque é mais experiente e pode ajudar a resolver muitos problemas

Por que rolam tantas discussões entre adolescentes e seus pais?

Os motivos das leitoras são os mais variados

Leia as respostas da psicóloga*

*as respostas estão registradas de acordo com a Lei dos Direitos Autorais

”Antes eu não discutia com a minha mãe. Agora eu discuto até ela chegar à mesma conclusão que a minha.” Irene, 11

Dra Olga Tessari: Sua mãe deve respeitar os seus gostos e desejos, assim como você também deve respeitar os gostos dela. Mas, nem sempre, você terá seus desejos aceitos e precisará lidar com isso em várias situações em casa, na escola e por toda a vida.

“Minha mãe quer que a gente volte aos tempos antigos. Eu gosto de roupa preta; ela, de roupa clara, e quer que eu use um visual antigo.” Beatriz,10

Dra Olga Tessari: Você está certa. Sua mãe quer que você se vista como ela, mas, conversando, você vai conseguir fazer com que ela a entenda Mesmo não aceitando os seus gostos, ela deve respeitá-los.

“Antes, minha mãe arrumava meu quarto e deixava tudo bonitinho. Agora, sou eu quem tem que arrumar. Ela diz que sou grande e que tenho que fazer isso. Mas, se quero ir ao shopping sozinha, ainda sou criança.” Inaiara, 10

Dra Olga Tessari: Arrumar o quarto deve ser sua obrigação, afinal o quarto é seu! Entenda que, aos poucos, seus pais irão perceber que você está crescendo em todos os aspectos e vão deixá-la ir ao shopping. Mas é preciso que você mostre a eles que está crescendo, sendo responsável com suas coisas, com suas obrigações.

“ Tenho vergonha de falar de quem eu gosto para minha mãe. Antes, eu não sabia como era gostar de uma pessoa. Da primeira vez que contei, ela ficou rindo. Então, eu não falei mais” Flávia, 10

Dra Olga Tessari: Você está certa em dizer que gosta da sua mãe, é importante expressarmos nossos sentimentos, mas seria bom perguntar a sua mãe por que ela riu. Ninguém melhor do que ela para dizer o porquê da risada. Deixe que ela explique e fale para ela como você se sentiu chateada. Assim, você cria uma relação legal com ela, pode confiar nela e sempre contar o que sentir vontade.

“ Minha mãe me trata como criança. Quer que eu sente no colo e eu morro de vergonha. Parece que não percebe que eu mudei, que eu não uso mais roupas com desenhos de cahorrinho.” Gabriela, 10

Doutora Olga Tessari: Que tal conversar com jeitinho com sua mãe e dizer que você não quer mais se sentar no colo dela, embora continue a amá-la? E que você gostaria de ter o direito de usar as roupas que você escolher?

“ Havia coisas com que eu nem precisava me preocupar. Agora tenho que arrumar a cama e não posso deixar bagunça pela casa.” Karen, 10

Doutora Olga Tessari: Ué, sua mãe está certa! Ela acredita que você é capaz de arrumar as suas coisas! E, cá entre nós, que tal poupar sua mãe do trabalho de arrumar a bagunça que você mesma faz?

Publicado na Revista Smack – Numero 30 – Ano 3

203

Leia o livro Dirija sua vida sem medo

Leia o livro Dirija sua vida sem medo

Um livro para todos aqueles que sofrem com seus medos, ansiedade, estresse, timidez, etc.

Leia o livro Amor X Dor: caminhos para um relacionamento feliz!

Leia o livro Amor X Dor

Um livro que aponta caminhos para ter e/ou manter um relacionamento feliz pela vida afora!

Siga Olga Tessari nas redes sociais: Facebook – Youtube – Instagram – Twitter – Linkedin

Olga Tessari

Olga Tessari, Psicóloga (CRP06/19571), formada pela Universidade de São Paulo (USP), pesquisa e atua com novas abordagens da Psicologia Clínica, em busca de resultados rápidos, efetivos e eficazes, voltados para uma vida plena e feliz. Ama o que faz e segue estudando muito, com várias especializações na área. Também é escritora, autora de 2 livros e coautora de muitos outros. Realiza cursos, palestras e workshops pelo Brasil inteiro. E ela segue atendendo em seu consultório ou de forma online (pela internet) adolescentes, adultos, pais, casais e famílias inteiras que buscam, junto com ela, caminhos para serem felizes, cada um com sua própria definição do que é felicidade!

Deixe um comentário