Ditadura das Crianças5

ditadura das crianças

Ditadura das Crianças

A proibição da palmada, com a nova lei, vai permitir o surgimento da ditadura das crianças.

Entrevista com Olga Tessari

A ditadura das crianças e o domínio infantil

Li em uma manchete do jornal ZERO HORA de Porto Alegre/RS, a psicóloga Olga Inês Tessari, de São Paulo, vocalizando o pensamento de muitos pais brasileiros que se sentem acossados pelo projeto de proibir os castigos corporais, o que pode levar à ditadura das crianças sobre seus pais.

Confira a entrevista:

Quais são as objeções que a senhora faz à proposta de proibir castigos corporais?

Olga Tessari – Essa lei interfere diretamente na educação que os pais dão aos filhos. É óbvio que, se existem pais que agridem, temos o dever de proteger a criança. Mas é um exagero proibir o pai de dar uma palmadinha para colocar limite, nas situações em que falar não adianta mais ou quando a criança não entende o sentido das palavras, até por causa da pouca idade. Muitas vezes, uma palmadinha na mão para entender que não se pode fazer alguma coisa é o suficiente para resolver. Temos de conter a violência do pai que descarrega suas neuroses e raivas no filho. Isso sim é inaceitável!

A senhora acredita que a lei vai tratar de forma igual pais que agem de forma diferente?

Olga Tessari – Exatamente. A lei nivela por baixo. Se observamos qualquer ação violenta de um pai contra a criança, temos obrigação de denunciar. Não precisamos de uma nova lei.

A senhora entende que a palmada pode ser educativa?

Olga Tessari – Todo mundo levou palmada na infância e nem por isso se tornou uma pessoa violenta e traumatizada. A palmada pode ser educativa, quando usada com parcimônia e depois que se esgotaram todos os argumentos e a criança permanece irredutível. Não é violência. A palmada deve ser permitida quando for estritamente necessária, o que não significa dar palmada em qualquer caso ou à toa.

Proibir a palmada e punir os pais pode criar problemas dentro da família?

Olga Tessari – Sim. Estamos criando a ditadura das crianças. Elas podem tudo, e os pais não podem nada. Os pais não vão mais poder educar direito os filhos. As crianças vão poder fazer o que querem e vão aprender que podem tudo. O que vai ser delas no futuro, quando depararem com a realidade totalmente diferente fora de casa?

Fonte: Zero Hora

Já tinha comentado em outra postagem, A Sociedade perdeu o Rumo, algo referente a esse assunto. Ontem vi um outro comentário que creio ser bastante relevante a este. Uma reportagem mostrava o carnavalesco Joãozinho Trinta, que faleceu semana passada, pronunciar a frase: “O povo gosta de luxo; quem gosta de miséria é intelectual”

Parafraseando essa frase, eu a pronunciaria desse modo: “O povo gosta de disciplina, quem gosta de desordem é intelectual”.

O País vive um caos social principalmente na educação. O Governo, primeiramente, não sabendo como atuar para dar maior poder de fogo para as crianças, resolveu de uma vez por todas por acabar com a avaliação a qual estávamos acostumados, agora simplesmente não se pode mais “rodar” ou “seja, repetir de ano”. Os Países participantes da ONU – Organização das Nações Unidas, devem procurar manter o nível de analfabetismo próximo a zero.

Então o Governo vendo que ano após ano, o índice de repetência era alto e, consequentemente, isso fazia com que muitos alunos abandonassem seus estudos, gerando um número cada vez maior de analfabetos, apurados em censos realizados pelo IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, então resolveu criar um sistema capaz de proibir a repetência dos alunos, de modo que, estatísticamente, todos permanecessem na escola, apesar de muitos não terem as mínimas condições de seguir para outra série mais a frente.

O resultado disso já sabemos, é a vergonha do índice de aprovação, por exemplo, nos Exames da Ordem, realizados pela OAB – Ordem dos Advogados do Brasil, o que também, diga-se de passagem, os Intelectuais, querem terminar. São pessoas, nais mais diversas áreas, que estão a exercerem a profissão sem estar habilitadas para tanto, e outros tantos que tem seus certificados cassados, por exercerem a sua profissão de modo diferente do que aprenderam na vida acadêmica.

Então, até com o vestibular se termina. Pois se o estudo recebido nas séries de formação fosse forte, com qualidade, nem precisariam que os alunos fizessem cursinhos para passarem no vestibular. É claro que o Governo criou sistemas para referendar suas novas regras, mas o que acontece na realidade é que muitas escolas de todo o País, escolhem os seus melhores alunos para fazerem as provas de avaliação de seus cursos, havendo assim uma manipulação indireta na estatística, para justificar a utilização do novo sistema implantado.

Mas voltando ao assunto, em primeiro lugar, o Governo trata de desorganizar o Sistema Educacional, como um todo, depois impede que os professores tenham controle sobre os seus alunos.

Os alunos é quem mandam, podem quebrar, se quiserem, as mesas e cadeiras da sala de aula, que ninguém pode nem chegar perto, pois se um professor ou diretor ousar gritar com um aluno, este pode alegar danos morais, psicológicos e etc, a escola é punida, o professor é exonerado e a diretora é trocada. Esta é a bagunça educacional que se encontra instalada em nosso País.

Ainda tem a tal da Cartilha Gay, o pensamento do Governo é quanto pior melhor. Muitos pais nem falam de sexo com seus filhos por entenderem ser correta essa educação, e de terem o lívre arbítrio para educarem seus filhos do jeito que quiserem, principalmente de assuntos, digamos, polêmicos a seus filhos, então entra o Governo na estória e não só fala, como também demonstra, alerta, discute, incentiva, com a falsa justificativa, para não haver discriminação, amor entre pessoas do mesmo sexo. Creio ser um assunto estritamente familiar, mas o Governo pensa ao contrário.

Não contente com isso, agora quer implantar a Lei da Palmada, que está no Senado para votação. Ou seja, os nossos filhos passarão a ser controlados pelo próprio Estado, ensinamento sobre educação ou opção sexual será agora de responsabilidade do Governo, mesmo que os alunos não tenham condições de alcançar uma série mais a frente, o Governo agora dá de presente a esses a passagem de uma série para outra, não podendo os professores “rodá-los”, não podendo ainda, os professores ter domínio sobre os seus alunos, e agora, por fim, nem mesmo aos pais compete a responsabilidade de educar seus filhos, pois um grito ou uma palmada poderá prejudicá-lo psicológicamente!!

Parece que a cartilha a ser utilizada pelo Governo é abrir a Bíblia todos os dias, e ver o que se pode realizar de modo contrário aos ensinamentos ali contidos? A Teoria do Governo é essa: QUANTO PIOR, MELHOR.

Viva a ditadura das crianças! As crianças agora poderão tudo, os pais, professores, etc, não poderão mais fazer nada. Poderia eu aqui, relacionar uma série de leis possíveis para serem implementadas pelo Governo, (tipo: Aos pais fica proibido dizer a palavra NÃO aos seus filhos), mas tenho receio que eles as copiem e coloquem em prática também.

Matéria publicada no Blog de Helio Silva em 19/12/2011

PAL5-698

Siga Olga Tessari nas redes sociais: Facebook – Youtube – Instagram – Twitter – Linkedin

Siga Olga Tessari nas redes sociais: Facebook – Youtube – Instagram – Twitter – Linkedin

olga_tessari
Olga Tessari

Psicóloga (CRP06/19571), formada pela Universidade de São Paulo (USP), pesquisa e atua com novas abordagens da Psicologia Clínica, em busca de resultados rápidos, efetivos e eficazes, voltados para uma vida plena e feliz. Ama o que faz e segue estudando muito, com várias especializações na área. Consultora em Gestão Emocional e Comportamental, também atua levando saúde emocional para as empresas. Escritora, autora de 2 livros e coautora de muitos outros. Realiza cursos, palestras e workshops pelo Brasil inteiro e segue atendendo em seu consultório ou online adolescentes, adultos, pais, casais, idosos e famílias inteiras que buscam, junto com ela, caminhos para serem felizes! Saiba mais