• 05 fev 17

O papel da madrasta

Ficar na dúvida sobre como proceder na relação com as crianças de seu companheiro é natural.

Por: Olga Tessari
  • O papel de madrasta

     

    Afinal, qual é o papel da madrasta?

    Entrevista com © Dra Olga Inês Tessari

    Ficar na dúvida sobre como proceder no relacionamento com as crianças de seu companheiro é natural.

    Mas você pode facilitar a convivência se adotar algumas regrinhas no dia-a-dia.

    Se você, assim como milhares e milhares de mulheres, não sabe agir com os filhos do seu marido em algumas situações ou como melhorar a relação com as crianças, a psicóloga Olga Tessari, de São Paulo e a escritora Fernanda Carlos Borges dão bons conselhos:

     

    O papel real da nova mulher

    Tentar passar despercebida na vida dos filhos de seu companheiro é inútil. De forma alguma escapará ilesa: você existe, agradará em alguns momentos e será reprovada em outros. No entanto, nesse processo de interação, nada de querer substituir a mãe. Em vez disso, melhor mesmo investir numa relação de amizade e parceria com os pequenos.

     

    De que forma o pai pode ajudar

    Se a convivência com as crianças não anda lá grande coisa, diga a ele para ajudar na união. Mas de forma carinhosa, explicando aos pequenos que você o faz feliz e merece ser respeitada. Nada de tom impositivo: pode piorar tudo!

     

    Como se aproximar da criança arredia

    Paciência: eis a base da relação. Em casos nos quais as crianças culpam a atual pela separação dos pais, mais ainda. Ser vista com víbora e ter de se mostrar aos poucos faz parte do jogo. Agüentar cara feia também. A boa convivência depende não só da intimidade, mas do respeito aos limites e da competência para manter uma certa distância quando necessário.

     

    Perguntas e respostas

    Como deve ser a relação com a mãe da criança?

    Para começar, não interfira na educação seguida pela mãe. Na sua casa, pode impor suas condições e agir da sua forma, mas nunca, de maneira alguma, criticar atos dela diante frente das crianças. A necessidade de uma relação saudável entre vocês duas existe. Afinal, em reuniões, festas do colégio e formaturas, a ex e a atual terão de conviver. Se surgirem dúvidas quando estiver com os pequenos, não se prive de telefonar e perguntar a ela sobre o dia-a-dia das crianças ou mesmo pedir conselhos.

     

    Até que ponto a madrasta pode dar palpites, opiniões e brigar com o pequeno?

    Dentro do seu lar, você manda. Pode dar seu recado, determinar as regras do pedaço. Mas evite brigas e discussões. Em vez disso, procure manter o diálogo – é sempre importante! –, assim como pôr limites e estabelecer uma rotina.

     

    Quais os deveres “herdados” pela madrasta?

    Cuidados domésticos, alimentação e atenção ao bem-estar do filho de seu companheiro são cuidados bem-vindos na relação entre vocês todos.

     

    E se os filhos reprovarem a atual união?

    Essa ameaça existe, porém, precisa ser relevada. Seu comportamento não pode ser condicionado à aprovação deles. Esse medo da não aceitação pode ser alimentado inclusive pelo pai, sem querer. Explica-se: na tentativa de transformar o período “fim de semana feliz”, ele abre mão de normas de convívio. Converse e deixe claro: ir para sua casa não é o mesmo que passear num parque de diversões.

     

    Matéria publicada no site Mulher Inteligente – Ed. Abril por Natália Chagas