Príncipe encantado

Príncipe encantado

Príncipe encantado

Pesquisa revela que mulheres brasileiras ainda sonham com o homem perfeito

Entrevista com Olga Tessari

Independentes, trabalhadoras, inteligentes e … românticas!

Segundo uma pesquisa realizada pelo Portal Educacional, esse é o perfil da mulher brasileira, que ainda espera a chegada triunfal, em sua vida, de um príncipe encantado, feito só para ela.

Das mais de 900 mulheres entrevistadas, 46% acreditam que haja um príncipe encantado para cada mulher.

“Não se trata de um príncipe encantado que vai salvá-la da madrasta para serem felizes para sempre, mas do príncipe moderno, o companheiro ideal”, explica a socióloga Adriana Domingos, coordenadora do levantamento.

Quem é o homem ideal, segundo as mulheres

  • 67% Carinhoso
  • 67% Apoia e incentiva a parceira em seus projetos pessoais
  • 39% Bom pai
  • 27% Divide as tarefas de casa
  • 23% Faz companhia durante o tempo livre
  • 22% Protetor
  • 12% Proporciona uma vida melhor
  • 5% Paga as contas
  • 2,5%Não a deixa dormir sozinha
  • 98% das mulheres veem a sociedade como machista

Príncipe encantado – onde está?

  • 48% das mulheres saem atrás do parceiro em situações do dia-a-dia (trabalho, escola, igreja, ônibus, amigos, viagens, celular, shows e festas)
  • 40% o procuram em bares, cinemas e outros lugares públicos
  • 18% vasculham a internet em busca da alma gêmea

Companheirismo

De acordo com a pesquisa, a brasileira prefere um homem que a apoie e incentive em seus projetos pessoais e que seja carinhoso do que aquele que pague suas contas.

Para a socióloga, esse resultado pode ser explicado pela modificação nas relações estabelecidas ao longo do século 20, que tiveram as conquistas profissionais femininas como sua principal marca.

“Algumas mudanças foram bastante radicais e ainda estão, aos poucos, moldando essas novas relações”, explica. “As mulheres mais jovens já são mais realistas quanto a isso porque assimilaram a independência da mulher com mais naturalidade”.

Exigentes demais?

Enquanto as novas gerações de mulheres já lidam com tranquilidade com seu papel social, muitos homens ainda resistem à aceitação das conquistas femininas. O resultado? Frustrações no amor.

“Com um pensamento novo, a mulher não aceita mais o homem considerado ideal na visão de sua mãe, por exemplo, e fica mais exigente”, diz Adriana. “A tendência é que ela se frustre mais vezes e de forma mais intensa por conta disso”, completa.

Na pesquisa, 37% das mulheres assumiram que não lidam bem com insatisfações amorosas.

Machismo

Mesmo assim, a socióloga acredita que os universos masculino e feminino façam parte de uma interação dinâmica e, portanto, a postura dos homens também esteja mudando.

“Há indícios de que a mulher ainda esteja insatisfeita com a abertura que conseguiu. Muitas gostariam de ter um papel mais expressivo de mãe e esposa ao invés de assumir a responsabilidade de encabeçar a família, como vem acontecendo bastante”, explica.

O levantamento revelou que 95% das mulheres veem a sociedade como machista, enquanto 35% disseram já ter sofrido ofensas pessoais por ser mulher.

10 alertas antes do “sim”

“No começo era tudo de bom…” Quantas vezes você já ouviu alguém casado dizer isso? É que nunca é completamente natural a convivência com uma pessoa do sexo oposto, cheia de experiências e valores diferentes dos seus. Tudo depende de você estar preparada para não se decepcionar mais tarde.

Confira algumas dicas da psicóloga Olga Tessari, especialista em casais e família, sobre o que fazer para preservar sua relação antes ou depois do casamento.

Dicas da psicóloga Olga Tessari

1 Aprenda a falar sobre seus sentimentos

Pode até ser mais fácil se trancar no quarto quando algo a incomoda no parceiro, mas isso não vai mudar nada na relação. Se quiser, acalme-se primeiro e depois converse com seu amor. “É preciso falar o que sente de forma clara com a certeza de que a outra pessoa vai entender”, afirma a especialista.

2 Estabeleça seus limites

Tudo mundo tem coisas que tolera e outras que não aceita. Por exemplo: para ele, tomar um choppinho com os amigos depois do trabalho pode ser algo normal. Já você não suporta não ser comunicada sobre a decisão antes. O ideal é colocar os pingos nos is o quanto antes e combinar como essa situação será resolvida, com os dois aceitando ceder.

3 Alimente a relação

Como uma plantinha, a relação amorosa precisa de tempo e dedicação para permanecer viva. Ela precisa ser regada com carinho, conversas maduras, brincadeiras, compreensão… “Manter o bom humor é fundamental”, explica Olga.

4 Procure ser feliz sozinha

Claro que a companhia do parceiro é uma delícia e faz você se sentir alguém especial. Mas isso é diferente de esperar que ele a faça feliz sem esforço de sua parte. Não deposite todas as suas esperanças de felicidade sobre o casamento. Crie sua alegria interior.

5 Preserve a relação de casal

De acordo com Olga Tessari, o casal é o início e o alicerce da família e, por isso, precisa estar sempre unido para que ela dê certo. Mesmo quando vierem os filhos, continue se dedicando ao seu parceiro e insista na idéia de que se trata do seu companheiro, não só do pai das crianças. Priorize a relação.

6 Converse, converse, converse…

Seja verdadeira com quem ama. Fale sobre seu dia, relate suas frustrações com a vida e conte coisas boas também. Desabafe! Envolva o parceiro no seu mundo e deixe que ele faça o mesmo com você.

7 Seja independente

“Nunca deixe de fazer algo que tem muita vontade porque o outro não quer”, orienta Olga. Segundo ela, quem se anula por causa do outro acaba cobrando a mesma atitude e assim é que começam os conflitos. A relação deve ser uma soma, jamais uma dependência.

8 Perdoe

Se vocês já conversaram sobre algo que os incomodava e acertaram como devem agir a partir daquele momento, por que voltar a falar no assunto? “Fazendo isso, você leva o outro a pensar que a conversa anterior não serviu para nada e que foi falsa ao dizer que estava tudo bem”, diz a psicóloga.

9 Tirem um tempo para vocês

A rotina estressante de trabalho, filhos, problemas financeiros e familiares acabam com qualquer paixão. Por isso, nada melhor do que desfrutarem de um tempo de lazer só para os dois. “E importante ter um dia ou noite por semana, toda semana, somente para o casal namorar”, sugere Olga Tessari.

10 Não fuja; persista!

O sucesso ou o fracasso da relação depende de quem faz parte dela, ou seja, você e seu par. Não abandone o barco antes de começar a remar. Não saia correndo na primeira dificuldade. Seja persistente e faça tudo o que puder.

Publicado na Revista Malu Ano 8 – n° 202 por Adriana Serrano

187

Leia o livro Dirija sua vida sem medo

Leia o livro Dirija sua vida sem medo

Um livro para todos aqueles que sofrem com seus medos, ansiedade, estresse, timidez, etc.

Leia o livro Amor X Dor: caminhos para um relacionamento feliz!

Leia o livro Amor X Dor

Um livro que aponta caminhos para ter e/ou manter um relacionamento feliz pela vida afora!

Siga Olga Tessari nas redes sociais: Facebook – Youtube – Instagram – Twitter – Linkedin

Olga Tessari

Olga Tessari, Psicóloga (CRP06/19571), formada pela Universidade de São Paulo (USP), pesquisa e atua com novas abordagens da Psicologia Clínica, em busca de resultados rápidos, efetivos e eficazes, voltados para uma vida plena e feliz. Ama o que faz e segue estudando muito, com várias especializações na área. Também é escritora, autora de 2 livros e coautora de muitos outros. Realiza cursos, palestras e workshops pelo Brasil inteiro. E ela segue atendendo em seu consultório ou de forma online (pela internet) adolescentes, adultos, pais, casais e famílias inteiras que buscam, junto com ela, caminhos para serem felizes, cada um com sua própria definição do que é felicidade!

Deixe um comentário