• 10 dez 17

Ciúme nos relacionamentos

Em excesso, pode sufocar o parceiro, acabar com a paz de quem o cultiva e estragar a pele.

Por: Olga Tessari
  • Ciúme nos relacionamentos

     

    O que causa o ciúme nos relacionamentos? Em excesso, o sentimento pode sufocar o parceiro e acabar com a paz de quem o cultiva e estragar a pele, como afirmam os especialistas.

    Entrevista com © Dra Olga Inês Tessari

     

    De acordo com o dicionário:

    Ciúme: 1. Inquietação mental causada por suspeita ou receio de rivalidade no amor ou em outra aspiração. 2 Vigilância ansiosa ou suspeitosa nascida dessa inquietação. 3 Ressentimento invejoso contra um rival ou suposto rival mais eficiente ou mais bem-sucedido, ou contra o possessor de uma vantagem material ou intelectual cobiçada.

    No último dia 6 de fevereiro, uma astronauta da Nasa foi acusada de seqüestro. Ledo engano quem achou que era dinheiro que ela queria. A intenção era acabar com a mulher que considerava sua rival na disputa pela paixão de outro astronauta.

    A enfermeira R.S.G., 27 anos, não seqüestrou ninguém, mas em matéria de ciúmes já passou por poucas e boas. “Eu sou liberada para sair, mas quando saio, ele diz que estou traindo. Quando saímos juntos ele não gosta que eu fique dançando e eu adoro dançar”, confirma.

    Apesar de terminar e voltar o namoro cerca de dez vezes, ela continua tentando. Há três anos e seis meses eles sobrevivem ao amor mediado pelo ciúme. “Todas as vezes que terminamos foi por ciúme. Eu gosto muito dele e ele de mim, além disso, moramos muito perto e nos vemos todos os dias, acho que por isso não terminamos definitivamente, virou um costume e temos medo de não encontrarmos outra pessoa”, diz.

    Uma atitude errônea é se distanciar das amizades e deixar de fazer o que traz prazer para agradar ao parceiro. Na maioria dos casos, sempre um deixa de fazer o que tem vontade porque o outro não gosta, isso apenas alimenta o caminhar desgovernado de uma relação amorosa.

    De acordo com a psicoterapeuta Olga Inês Tessari, quando ambos são muito possessivos e aceitam isso, o casal corre o risco de viver somente em função do relacionamento. “É preciso ter amigos, estudar, trabalhar… O namorado (a) não pode substituir tudo isso, até porque essa seria uma carga muito pesada para ele”, diz.

    Ainda segundo Olga, a causa maior do ciúme nos relacionamentos é a insegurança, que pode ser gerada por fatores externos, quando o parceiro dá motivos para tal sentimento, ou por fatores internos, o que acontece com a grande maioria. Esses fatores internos se referem à baixa autoestima, quando a pessoa se sente inferior aos outros e acaba por querer controlar o companheiro.

     

    Sou ciumento? Características do ciumento possessivo:

    • O ciúme traz sofrimento para a relação.

    • Pessoa que já tentou mudar a forma de agir e não conseguiu.

    • Pessoa que perdeu um namorado por ciúmes e acabou se tornando ainda mais ciumenta na relação seguinte.

    • O ciúme pode ser gerado em pessoas muito ansiosas.

    • Pessoa que vasculha celular e e-mail do companheiro, descobre senhas de MSN, Orkut e endereço eletrônico.

    • Pessoa que enche o companheiro de perguntas como: Onde estava? Com quem foi? O que foi fazer?

    • Alguém com uma imaginação muito fértil. O ciumento imagina coisas e associa os fatos de tal forma que eles parecem verdadeiros, passando inclusive a acreditar naquilo.

    • Pessoa muito insegura e com baixa autoestima.

    • Alguém que controla o parceiro. A pessoa que sofre de ciúmes tem a necessidade de saber o tempo todo onde está o companheiro e procura manter contato a todo instante. Outra forma de vigiar é conhecer pessoas dos ambientes nos quais o parceiro costuma estar, esses colegas serão os “olhos” do ciumento quando ele não puder estar presente.

    • Aquele que deixa de estar com amigos ou com a família para estar com o namorado ou marido.

     

    Paixão saudável traz beleza

    Deixando o ciúme um pouco de lado, uma paixão saudável e dentro dos limites faz muito bem para o coração e o corpo. Estar apaixonado faz com que a pessoa fique mais bonita, mas o stress de um relacionamento ruim pode estragar a pele.

    O dermatologista Alessandro de Amorim explica que, na fase embrionária, a mesma parte que gera o sistema nervoso central é a que cria a epiderme. Dessa forma, todo tipo de emoção afeta diretamente a pele, seja de forma positiva ou negativa. Os neurotransmissores, existentes no cérebro, também compõem a pele.

    Assim, o estresse, por exemplo, pode agravar algumas doenças como as acnes ou gerar doenças e alergias no corpo. “O benefício da paixão é visível. Pessoas apaixonadas têm um brilho no olhar, pele com viço, sem imperfeições, rugas ou olheiras.

    Na vida a gente procura felicidade, na minha opinião, o ser humano não nasceu para ser sozinho”, confirma o médico.

     

    Matéria publicada no Guia da Semana por Carolina Tavares em setembro/2007